Pelo menos 50 casas ficam alagadas após forte chuva em Portão, no Vale do Sinos
capa

Pelo menos 50 casas ficam alagadas após forte chuva em Portão, no Vale do Sinos

Em 5 horas, choveu 82 milímetros - o equivalente ao volume esperado para todo o mês

Por
Correio do Povo

Morador mostra a altura que a água atingiu

publicidade

A forte chuva que atingiu Portão, no Vale do Sinos, na noite de sexta-feira, alagou pelo menos 50 casas, de acordo com a Defesa Civil. As regiões mais atingidas foram os bairros São Pedro e Parque das Hortênsias. Choveu cerca de 82 milímetros em cinco horas - volume esperado para todo o mês, de acordo com a Defesa Civil.

A chuva torrencial causou o transbordamento do arroio do bairro São Pedro. As águas também destruíram uma ponte, deixando alguns moradores ilhados durante a madrugada. A estrutura de madeira, no entanto, foi reconstruída durante a manhã de hoje.

“Moradores nos falaram que há 30 anos não viam nada desse tipo”, disse o coordenador da Defesa Civil, Carlos Alberto da Silva, que realizou o atendimento às famílias. Em algumas casas, a água chegou a atingir a cintura dos moradores. Algumas famílias tiveram que deixar o local e foram para as residências de amigos e familiares. Não há registros de feridos.

O morador, Antonio Germano, de 37 anos, perdeu praticamente todos os móveis. O auxiliar de produção mora em uma residência, no bairro São Pedro, com a esposa e quatro filhos. A Defesa Civil está arrecadando doações para ajudar as pessoas atingidas. Quem tiver mantimentos, pode entrar em contato com o órgão.

Foto: Márcio Lacerda / Defesa Civil / CP

Transtornos na Fronteira Oeste

Ainda na sexta-feira, as chuvas já haviam causado transtornos. Em Alegrete, na Fronteira Oeste, 115 casas foram afetadas pelas enxurradas em diversos pontos do município. Sete das famílias atingidas precisaram deixar as moradias e se alojar com parentes. Foram registrados 120 milímetros de chuva pela manhã, conforme a Defesa Civil.

Entre os bairros atingidos estão Dr. Romário, Vera Cruz, Restinga, Segabinazzi, O Sepé e Promorar, além do Centro. O Parque Rui Ramos também ficou alagado. As águas atingiram até 1 metro de altura, invadindo moradias e interrompendo o trânsito. Equipes do Corpo de Bombeiros, de Assistência Social do município e da Defesa Civil percorreram às áreas afetadas.

Em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos, mesmo rápida, a chuva torrencial que caiu à tarde causou transtornos na cidade. Em cerca de 30 minutos, vias da área central, como a Bento Gonçalves, Joaquim Nabuco, Magalhães Calvet e Nicolau Becker, ficaram cobertas pela água. Além dos motoristas que tentavam encontrar rotas para trafegar, pedestres ficaram ilhados em paradas de ônibus. Muitos estabelecimentos comerciais foram invadidos pela água e fecharam as portas mais cedo.

No bairro Ideal, próximo às estações Fenac e Santo Afonso da Trensurb, trechos da avenida Primeiro de Março, os veículos precisavam transitar em fila única para fugir dos alagamentos. Já na rua Ipê, além de parte da via, a água invadiu a calçada e o jardim de algumas residências. A chuva ainda ocasionou acidentes na região. Na BR 116, uma colisão deixou o tráfego lento no acesso a Estância Velha. Já na ERS 239, próximo ao viaduto do bairro São Jorge, um veículo saiu da pista depois de aquaplanar. O motorista teve ferimentos leves e foi atendido pelo Samu.