Prefeituras se preparam para novos episódios de tempo instável com grandes acumulados de chuva

Prefeituras se preparam para novos episódios de tempo instável com grandes acumulados de chuva

A preocupação recai sobre quantidade de entulhos que estão espalhados pelas ruas, redes de esgotos comprometidas e rios que estão assoreados e com o nível ainda muito elevado

Fernanda Bassôa

Em São Leopoldo, sistema anticheias, os diques e as Casas de Bombas, estão preparados para dar conta se o volume de chuva

publicidade

Diante da previsão de um novo período de instabilidade, com volumes de chuva possivelmente elevados, que se inicia a partir deste final de semana e deve se estender até a próxima quinta-feira, as cidades – duramente atingidas pelas severas mudanças climáticas ao longo de maio – preparam planos de contingência e ações de prevenção a fim de mitigar os efeitos de possíveis episódios de alagamentos. A preocupação recai especialmente sobre quantidade de lixo e entulhos que estão espalhados pelas ruas, redes de esgotos comprometidas e rios que estão assoreados e com o nível ainda muito elevado.

Além de Canoas, que anunciou na quinta-feira um plano de contingência específico para o Município, outras cidades da Região Metropolitana, Vale do Sinos, Vale do Caí e Serra também se preparam para grandes acumulados de chuva. Em São Leopoldo, o prefeito Ary Vanazzi alertou que o sistema anticheias, os diques, as Casas de Bombas, estão preparados para dar conta se o volume de chuva for o previsto. “O que nós provavelmente teremos problemas é com a microdrenagem, porque muitos resíduos sólidos ficaram nas ruas, muitas bocas de lobo ainda estão obstruídas, e isso pode gerar um acúmulo de água nas ruas. Estaremos em alertas e em monitoramento constante”, enfatizou.

A Prefeitura de São Leopoldo tem instaladas na Vila Brás duas bombas móveis, com condições de drenar 6.600 litros de água por segundo somadas. Além disso, foram instaladas duas bombas móveis no Arroio Cerquinha, que drenam juntas até 500 litros por segundo, e duas na Campina, que totalizam 2.100 litros por segundo. O município acionou ainda o Plano de Contingência Contra Inundações (Placon), que define o que cada secretaria e corporação de apoio, como Corpo de Bombeiros, Brigada Militar e Exército, deve fazer em caso de apronto operacional na remoção de famílias para abrigos.

A Prefeitura de Novo Hamburgo informou que colocou nesta semana a Casa de Bombas do bairro Santo Afonso em funcionamento novamente. Dois motores já estão em operação, cada um deles bombeando 2,5 mil litros de água por segundo. Mais um motor está sendo reinstalado, e outro está em fase final de recuperação. Ao mesmo tempo, as quatro bombas temporárias instaladas continuam no local. São três bombas emprestadas, duas de arrozeiros e uma da Sabesp, de São Paulo, além de uma locada em uma empresa da região. Além disso, a secretaria de Obras Públicas, Serviços Urbanos e Viários e as equipes do Meio Ambiente estão trabalhando continuamente no processo de limpeza das ruas, incluindo as bocas de lobo e até de arroio, buscando minimizar a possibilidade de alagamentos.

Uma escavadeira hidráulica está trabalhando na remoção de inservíveis no arroio Gauchinho, próximo a Casa de Bombas, no bairro Santo Afonso. Ao todo, já foram recolhidas 22 mil toneladas de móveis inservíveis desde os primeiros dias em que as águas começaram a baixar. O trabalho de limpeza foi intensificado na região da Vila Palmeira, principalmente nas ruas Eldorado, Divisa, Boa Vista, Planalto e arredores. A Secretaria de Obras Públicas, Serviços Urbanos e Viários também trabalha na limpeza de bocas de lobo e canalizações pluviais com caminhões hidrojato.

Em Guaíba, a Defesa Civil segue monitorando o avanço da frente fria que trará o retorno das chuvas ao Estado. Segundo o Sistema de Comando de Incidentes (SCI) Guaíba, os modelos de previsão indicam que os volumes acumulados para o período devem ficar entre 70 mm a 120 mm. A Sala de Situação da Defesa Civil de Guaíba segue monitorando e realizando atualizações diárias das condições hidrometeorológicas para o período. No momento, não há previsão de nenhuma medida de evacuação, mas as equipes solicitam aos moradores que evitem áreas de risco.

Em Eldorado do Sul, a Defesa Civil emitiu alerta à população informando que o volume de chuvas previsto para o final de semana pode causar alagamentos em áreas que já estavam secas. Desde quinta-feira, um carro de som circula pelos bairros orientando os moradores que residem em áreas de risco para que procurem locais seguros. Além disso, a orientação é que os moradores a não transitem pela região. A Secretaria Municipal de Obras e Viação segue atuando na limpeza dos bairros atingidos pela enchente de maio. A retirada dos entulhos continua acontecendo nas localidades do Sans Souci, Sol Nascente, Itaí, Picada, delta, centro Novo, centro, Loteamento e Medianeira. A Prefeitura de Esteio informou que tem um plano de contingência permanente desde 2017 e as equipes estão em alerta e de prontidão caso seja necessário, para tender a comunidade de forma breve e célere.

Na Serra, a Prefeitura de Bento Gonçalves está monitorando os alertas e informou que existe um plano de alerta aos moradores e ações previstas, como a orientação e o encaminhamento de moradores de áreas de risco para áreas seguras. Entretanto, segundo a Administração, é necessário monitorar os alertas, ação que é realizada de forma constante pelo Núcleo de Riscos Geológicos. Da mesma forma acontece em Canela, que vem atuando com base na atualização dos boletins meteorológicos. A Defesa Civil de Canela está em alerta devido ao aviso sobre a possibilidade de novas chuvas e seguem monitoram o avanço de uma frente fria.

No Vale do Caí, a Defesa Civil das cidades de Montenegro e São Sebastião do Caí vem monitorando as previsões de chuva para os próximos dias, que indicam acumulados maiores no domingo, que podem alcançar 100 mm. Neste caso, o maior risco de inundação do Rio Caí se apresenta para a partir de segunda-feira. Porém, de acordo com a Administração de Montenegro, a rede pluvial ainda está sofrendo os efeitos das enchentes de maio e há possibilidade de alagamentos pontuais. Diante deste quadro, a situação é de alerta.

O Executivo mantém sua estrutura de prontidão, com veículos e servidores à disposição para auxiliar a retirada das pessoas em áreas de risco caso haja necessidade. Além disso, o poder público mantém convênio com entidade de acolhimento para receber desabrigados. E, se a situação se agravar, o ginásio Domingos dos Santos, do Parque Centenário, será rapidamente preparado para este atendimento.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895