Projeto social é retomado e auxilia pessoas em situação de rua em Esteio

Projeto social é retomado e auxilia pessoas em situação de rua em Esteio

Grupo Baseado em Amor contabiliza mais de 1 mil marmitas entregues em 30 dias

Fernanda Bassôa

Agasalhos e alimentos são entregues a pessoas que vivem em situação vulnerável

publicidade

Um pouco mais de um mês, após retomar um antigo projeto, integrantes do grupo independente Baseado em Amor, já distribuíram mais de mil pratos de comida e cerca de duas mil peças entre roupas e cobertores. Os alimentos e agasalhos foram entregues, gratuitamente, às pessoas que vivem em situação de rua e também para famílias que sobrevivem em extrema vulnerabilidade, na periferia da cidade de Esteio.

Além dos parceiros e das doações de legumes que o grupo tem angariado nas últimas semanas, os jovens estão engajados na arrecadação de roupas a fim de realizar mensalmente o Brechó Solidário para custear o restante dos gastos e manter a distribuição de “quentinhas” à quem tem dificuldade em se alimentar. Por isso, segundo eles, toda doação de alimentos e de roupas é bem-vinda.

Bruna Pochmann, 18 anos, que mora na casa usada como QG do grupo, no bairro Novo Esteio, explica que o lucro do brechó será totalmente revertido para as despesas do projeto e os valores das peças serão acessíveis. “De R$ 5 a R$ 20, e usaremos apenas roupas doadas especificamente para o brechó, pois continuaremos distribuindo agasalhos, kits de higiene e cobertores para quem realmente precisa.”

Também voluntária da ação, Mayna Solano, 19 anos, comenta que eles pagam R$ 6 no quilo da carne. “Mas usamos de seis a sete quilos por semana. Ainda assim, temos o gasto com gás de cozinha e com os recipientes, o mais caro. Pagamos, em média, R$ 100 por semana pelo pote onde a comida é entregue.” Segundo ela, o grupo também pede doação de salsichas, absorventes e fraldas.

Outra forma de angariar recursos para o Baseado em Amor é através da rifa, criada em parceria com os amigos, lançada nesta semana, a R$ 2 o número. O prêmio para o primeiro colocado é uma tatuagem (tamanho 15x15cm), da artista Amanda Quadrado, e o segundo colocado ganha R$ 50 em consumação em um dos bares noturnos da cidade.

Os voluntários se reúnem duas vezes na semana (segundas e sextas-feiras), para preparar o cardápio (geralmente sopa, massa ou arroz) e separar os donativos para serem entregues após as 20h. “Estamos atendendo as famílias da Hípica, que vivem em extrema vulnerabilidade, e os moradores de rua que ficam no entorno da Vila Pedreira e que são muitos. A cada entrega meu coração fica ainda mais apertado. A cada saída eu vejo o quanto vivemos em um País injusto e que temos feito tão pouco pelo outro.”, disse Bruna. Ao contrário dela, Mayna, diz que se sente grata e feliz em saber que voltará para ajudar e oferecer um pouco de conforto na semana seguinte.

Interessados em ajudar com doações ou a adquirir um número da rifa, podem fazer contato pelo telefone (51) 997492100 (com Bruna) ou pelo página do grupo no Facebook.  


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895