Recuo do rio Gravataí permite retomada do tráfego no acesso à Cachoeirinha

Recuo do rio Gravataí permite retomada do tráfego no acesso à Cachoeirinha

Nível do rio no município está em 4,60 metros em Cachoeirinha. Em Alvorada, dez pessoas estão abrigadas em um ginásio

Rodrigo Thiel

Recuo do rio Gravataí em Cachoeirinha permitiu a liberação do tráfego no acesso à cidade pela avenida Assis Brasil

publicidade

Depois de interditada por algumas horas em função do avanço das águas do rio Gravataí, o principal acesso à Cachoeirinha, pela avenida Assis Brasil, voltou a ser liberado nesta quinta-feira. No local, o nível do rio está em 4,60 metros, bloqueando o acostamento e uma das pistas de quem chega da capital. Segundo Vanderlei Marcos, diretor da Defesa Civil, uma equipe da Prefeitura de Porto Alegre está trabalhando na limpeza da via.

Além disso, dez famílias do bairro Parque da Matriz permanecem abrigadas em casa de familiares e amigos. No local, a avenida Panamericana está cerca de 40 centímetros submersa e duas casas seguem interditadas devido a um deslizamento registrado na semana passada. Vanderlei conta ainda que, nos demais bairros localizados próximos de arroios, a situação é estável, não apresentando risco à população no momento.

A prefeitura está realizando também o patrolamento para recuperar as condições de trafegabilidade da estrada do Nazário, que liga Cachoeirinha à Canoas e Esteio. Os alagamentos dos últimos dias resultaram no aparecimento de vários buracos profundos na via, que é uma das principais do bairro Meu Rincão.

Em Alvorada, mais seis famílias e duas pessoas acamadas foram retiradas de suas residências nesta quinta-feira. A grande maioria dos atingidos pela cheia do arroio Feijó estão abrigados em casas de familiares e amigos. De acordo com a prefeitura, dez pessoas estão abrigadas em um ginásio, onde foi disponibilizada uma equipe para preparar alimentação, além de uma estrutura com colchões e local para guardar os pertences dos atingidos.

Nesta quinta, com a ajuda de barcos da comunidade, a prefeitura entregou mais 300 marmitas e 400 garrafas de água para as famílias que seguem em suas casas nos bairros Americana e Nova Americana. Além disso, mais 350 pallets foram distribuídos para que as pessoas possa erguer seus móveis e pertences. 


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895