Teatro de Pelotas terá obras de restauro
capa

Teatro de Pelotas terá obras de restauro

Ordem de serviços para o Sete de Abril, no valor de R$ 15 milhões, foi assinada nesta sexta-feira

Por
Angélica Silveira

Fundada em 1834, instituição municipal fechou em 2010 devido a infiltrações

publicidade

O contrato e a ordem de serviços para a obra de requalificação do prédio do Theatro Sete de Abril foram assinados nesta sexta-feira em Pelotas. As obras estão previstas para começar no próximo dia 2 e durar 18 meses. Serão realizadas em duas etapas com custo de R$ 15 milhões. Os recursos são do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas) do governo federal. 

O teatro mais antigo do Estado, fundado em 1834, fechou as portas em 2010 devido a infiltrações na cobertura e risco de desabamento, uma vez que as madeiras faziam a sustentação. Entre 2013 e 2014, o telhado foi restaurado. A empresa que fará a restauração trabalha há 25 anos somente com o restauro de prédios históricos. O arquiteto da Biapó, Adriano Carvalho, conta que a cidade despertou o interesse da empresa. “Pelotas é rica em patrimônio e se interessa por isso.” Será restaurada toda a parte arquitetônica. Além de indiretos e terceirizados, serão lançados 35 empregos diretos. “Pelotas tem mão de obra qualificada e histórico de restauro, o que ajuda muito”, destacou o arquiteto. 

O secretário municipal de Cultura, Giorgio Ronna, lembrou que o Sete de Abril é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). “Então tem que haver o máximo cuidado com o orçamento da obra e levar em conta cada item usado, inventariado para uso correto do espaço público”, disse o secretário municipal de Cultura, Giorgio Ronna.

A primeira etapa ocorrerá paralelamente à realização do Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndio (PPCI) e à aquisição de poltronas e equipamentos de som e luz. “O orçamento da segunda está em fase de atualização, mas deve ficar em torno de R$ 7 milhões. Acredita-se que no primeiro semestre de 2021 o teatro deverá ser reaberto”, projeta o arquiteto. Enquanto a estrutura do Sete de Abril estiver sendo restaurada, será colocado em prática o projeto de iluminação cênica, acessibilidade e climatização. 

Para a prefeita Paula Mascarenhas, a cidade incorporou a consciência de preservação da história e memória. “É um dia histórico de anúncio da retomada das obras. A licitação é complexa, exige cuidados, e durou oito meses. Era necessário tempo para que a obra qualificada não tenha processos judiciais interrompendo. A burocracia é grande obstáculo a ultrapassar, o que faz com que as coisas demorem mais que deveriam.”