capa

Trabalhadores do Hospital Bom Jesus, de Taquara, paralisam as atividades

O protesto ocorre em decorrência do atraso de salários, do adicional de insalubridade e das condições precárias de trabalho

Por
Stephany Sander

A manifestação segue até as 19h, quando haverá assembleia da categoria

publicidade

Desde as 7h desta terça-feira (12), profissionais que trabalham no Hospital Bom Jesus, em Taquara, estão com as atividades paralisadas. Segundo o diretor do Sindisaúde-RS, Júlio César Duarte, o ato, definido em assembleia no dia 28 de fevereiro, ocorre como protesto em decorrência do atraso de salários, do adicional de insalubridade e das condições precárias de trabalho.

"Estávamos com os salários de janeiro e fevereiro em atraso, os rendimentos de janeiro começaram a ser pagos nesta segunda e o restante deve ser depositado nos próximos dias, mas a questão não é só essa. Temos defasagem no número de servidores, falta de materiais, entre outros problemas." Ele destaca que os servidores do bloco cirúrgico têm lavado as roupas de trabalho em casa, devido à falta deste serviço aos profissionais. Apenas a Emergência do Bom Jesus está operando normalmente hoje. Participam da paralisação técnicos de enfermagem, servidores da área de higienização e zeladoria.

O protesto ocorrerá até as 19h, quando ocorrerá uma assembleia geral da categoria para definir os próximos passos. "A greve geral é nossa última medida, mas iremos avaliar essa possibilidade", diz Duarte. Por meio de sua assessoria de imprensa, o prefeito de Taquara, Tito Livio Jaeger Filho, afirma que: "Entendemos que os funcionários do hospital exercem uma exigência legítima, pois todos que trabalham merecem seus vencimentos, apenas entendemos que qualquer ação ou protesto em âmbito local infelizmente pode não ter o objetivo de pressão ou sensibilização esperado, visto que, infelizmente, não atinge o causador do problema que é o Estado do RS, o qual sistematicamente não vem cumprindo com os repasses que tem obrigação".

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) informou que os hospitais do Rio Grande do Sul receberam ontem R$ 46,5 milhões para atendimentos de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). "O repasse feito pelo governo do Estado representa a totalidade do Teto Financeiro de Média e Alta Complexidade. A verba é destinada para custeio de procedimentos ambulatoriais e hospitalares nos serviços do SUS", informou a SES por meio de sua assessoria.

A secretaria destacou ainda que, para este mês de março, o Estado prevê pagar os R$ 41,5 milhões devidos aos municípios na área da Saúde referente ao passivo de janeiro. "Com relação à dívida herdada pelo atual governo, haverá um parcelamento em 36 vezes." A reportagem aguarda resposta da direção do hospital.