Aprovação pela UE de acordo com Mercosul deve ficar para 2021

Aprovação pela UE de acordo com Mercosul deve ficar para 2021

Texto deve passar por uma revisão legal antes da aprovação por parte dos países europeus para a assinatura formal

AFP

Medida permite que governos ampliem seus gastos no enfrentamento ao Covid-19

publicidade

A comissária europeia de Comércio, Cecilia Malmström, afirmou nesta terça-feira que a aprovação da União Europeia (UE) para a assinatura do acordo comercial com os países do Mercosul não vai acontecer antes do final de 2020. "Isso provavelmente não chegará à mesa dos ministros antes do Natal do próximo ano", disse Malmström, que deixará o cargo em 31 de outubro, após uma última reunião com os ministros europeus do Comércio.

Os negociadores da UE e do Mercosul chegaram a um acordo político em junho, após 20 anos de negociações comerciais. O texto deve passar por uma revisão legal antes da aprovação por parte dos países europeus para a assinatura formal. Durante esse período, a comissária sueca disse que tanto os 28 países da UE, quanto Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai, devem "buscar compromissos com seus respectivos interessados, sociedade civil e parlamentos".

Depois da assinatura formal, o acordo pode entrar em vigor provisoriamente, após a aprovação da Eurocâmara. Em seguida, para a aplicação final, é necessária a ratificação dos parlamentos nacionais de todos os países. Em um contexto de preocupação em alguns países europeus com a política ambiental do atual presidente Jair Bolsonaro, Malmström alertou que o Acordo de Paris sobre o Clima deve ser respeitado. "Caso contrário, é claro, a ratificação pode ser problemática", reconheceu a comissária, que deve substituída em 1º de novembro pelo atual comissário da Agricultura, o irlandês Phil Hogan.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895