Basalto da Serra do RS é reconhecido como Arranjo Produtivo Local

Basalto da Serra do RS é reconhecido como Arranjo Produtivo Local

Material produzido exclusivamente no Estado tem potencial de crescimento no uso e pode incrementar exportações

Correio do Povo

publicidade

O Rio Grande do Sul ganhou mais um Arranjo Produtivo Local (APL), que é uma política pública de Estado para estimular e apoiar a auto-organização produtiva de aglomerações setoriais e para promover o desenvolvimento dos territórios. O APL Basalto da Serra Gaúcha, que reúne municípios produtores desta pedra utilizada para construção civil, agora faz parte dos 15 arranjos já reconhecidos pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico do RS (Sedec). O APL Basalto Serra Gaúcha foi reconhecido institucionalmente por meio da resolução nº 01/2023, do Núcleo Estadual de Ações Transversais (NEAT), em ato publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) em outubro.

Uma comitiva formada pelo prefeito de Nova Prata, Alcione Grazziotin, o prefeito de Paraí, Oscar Dall Agnol, empresários e representantes do Sindicato da Indústria da Extração de Pedreiras esteve na Sedec, apresentando ao titular da pasta, Ernani Polo, as potencialidades da região que compreende o APL Basalto. O deputado estadual Guilherme Pasin, natural de Bento Gonçalves e conhecedor da produção da pedra também participou da reunião, assim como o diretor do Departamento de Desenvolvimento Econômico da Sedec, Dario Giovanella.

O RS possui cerca de 200 pedreiras de basalto, a maioria de escala familiar, com destaque de produção nos distritos mineiros dos municípios de Nova Prata e Paraí. São aproximadamente 150 empresas que beneficiam o material. Destas, 131 integram o APL Basalto da Serra Gaúcha. Estima-se que na extração e no beneficiamento do basalto estejam envolvidos 5 mil empregos diretos. O APL Basalto da Serra Gaúcha é composto por 12 municípios: Antônio Prado; Casca; Fagundes Varela; Guabijú; Ipê; Nova Bassano; Nova Prata (município polo do APL); Paraí; Santo Antônio do Palma; São Domingos do Sul; Veranópolis e Vila Flores.

“A ideia de constituir um Arranjo Produtivo Local surgiu desde a fundação da Associação dos Extratores de Basalto, na década de 1980. Depois a associação transformou-se em sindicato patronal. Entendemos que o Arranjo Produtivo Local do basalto nos proporciona grande capacidade econômica e de desenvolvimento para a região de Nova Prata e Paraí, para dar sequência e continuidade e atividade, a tornando mais desenvolvida com novas tecnologias, visando também a exportação. Este APL vai incentivar micro e pequenas empresas a desenvolver seu mercado, permitindo também que jovens permaneçam na zona rural em torno desta produção”, destaca Camila Turmina, bióloga e responsável técnica do sindicato da indústria de extração de pedreiras, de Nova Prata e região (SIEPNP).

O prefeito de Nova Prata, Alcione Grazziotin, afirmou que a cidade é consideradara a capital nacional do basalto. "Todos nós sabemos que a produção desta pedra é uma das principais sustentações de nossa cidade. Estamos muito felizes em conseguir este novo status para Nova Prata e região, porque, com a oficialização do APL estamos dando uma nova visão aos empreendedores que querem produzir basalto e desta forma podermos exportar basalto também.”

“ É a concretização de uma luta antiga do setor, que é o reconhecimento do APL de pedras de Basalto, localizado na Serra Gaúcha. Sem dúvida é um setor importante, que gera muito desenvolvimento e empregos. Somos a única região do mundo que produz o Basalto e que tem um grande potencial de ampliar a produção a partir deste APL, que permitirá ampliar o debate sobre o potencial do setor, para que se possam também alavancar a exportação do produto”, afirma o secretário do desenvolvimento econômico, Ernani Polo.

O basalto é uma rocha vulcânica e, devido à formação, permite a extração manual de suas camadas. Muito utilizada na construção civil, em itens como passeio público, hoje beneficiada, se torna artigo de beleza natural para ambientes internos. Desde a extração até seu destino final o basalto movimenta uma grande cadeia produtiva.


Azeite gaúcho conquista prêmio internacional

Produzido na Fazenda Serra dos Tapes, de Canguçu, Potenza Frutado venceu em primeiro lugar na categoria “Best International EVOO” do Guía ESAO

Mais Lidas





Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895