BNDES impulsiona crédito a empresas e faz o contraponto de Mercadante a Campos Neto

BNDES impulsiona crédito a empresas e faz o contraponto de Mercadante a Campos Neto

Banco viabilizou R$ 43 bilhões entre financiamentos com recursos próprios e garantias

AE

publicidade

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) embalou o acesso a crédito das micro, pequenas e médias empresas no país. Somente no primeiro semestre de 2023, o banco viabilizou R$ 43 bilhões ao segmento entre financiamentos com recursos próprios (R$ 18,9 bilhões) e garantias (R$ 24,1 bilhões), incluindo o Programa Emergencial de Acesso a Crédito (FGI-Peac).

Outros R$ 11 bilhões estão reservados para este terceiro trimestre, sendo que R$ 2,4 bilhões já foram viabilizados. Na prática, o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, acaba por fazer um contraponto ao presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto. Isso porque o presidente Lula conta com o banco público para fortalecer o crédito no Brasil enquanto o BC resiste a reduzir os juros - o que, para o petista, trava a roda da economia.

"As micro, pequenas e médias empresas são fundamentais para a geração de emprego e renda no Brasil. Por isso, o BNDES está alavancando o apoio a elas, seja por meio de empréstimos ou fornecendo garantias para outros bancos emprestarem", afirmou Mercadante à Coluna, salientando que o impulso do banco tem sido feito sem subsídios.

Fortalecer o FGI-Peac é uma pauta de interesse dos bancos junto ao governo. O BNDES gere as garantias do programa, destinado a micro, pequenas e médias empresas (MPMEs), e repassado através de bancos comerciais.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895