Casa Civil diz que governo estuda recompor orçamento do INSS

Casa Civil diz que governo estuda recompor orçamento do INSS

Jônathas Castro, número dois do ministério, reconhece que tesourada foi "substancial"

R7

publicidade

Após o corte de R$ 988 milhões no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o governo federal estuda maneiras de recompor o orçamento destinado à unidade em 2022. Em entrevista ao podcast oficial da Casa Civil, o secretário-executivo, Jônathas Castro, reconheceu que a tesourada no INSS foi substancial e disse que a pasta “vai fazer todo esforço” para recompor o cálculo.

“De fato, a gente reconhece que o corte foi substancial, não dá para negar, mas acho que precisa ficar uma mensagem. O governo vai fazer todo o esforço, e tem o compromisso da nossa parte, para que a gente possa recompor o orçamento do INSS ao longo do ano”, disse.

O número dois da Casa Civil destacou que a pasta faz avaliações bimestrais, em que pode haver a possibilidade de remanejamento entre órgãos. “O nosso esforço vai ser para garantir que tudo aquilo que seja necessário para que o INSS mantenha seu pleno funcionamento, a gente recompõe de orçamento”, complementou.

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, no final do mês, o Orçamento deste ano. A pasta mais atingida pela tesourada foi o Ministério do Trabalho e Previdência, sob o comando de Onyx Lorenzoni. Recriado há menos de um ano, o ministério perdeu R$ 1 bilhão do total de R$ 3,1 bilhões aprovados pelo Congresso. O INSS foi a unidade mais afetada, com a perda de R$ 988 milhões que seriam usados na administração, gestão e processamento de dados.


Azeite gaúcho é destaque global

Agroindústria de Viamão recebe no Japão título de melhor blend, entre outros prêmios

Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895