capa

China melhora oferta para computação na nuvem em discussões comerciais com EUA

País asiático tenta garantir acordo comercial com Washington após negociantes recusarem proposta

Por
AE

Delegação chinesa para negociações é liderada por vice-primeiro-ministro, Liu He

publicidade

A China melhorou sua oferta de abrir o setor de computação na nuvem a empresas de tecnologia estrangeiras, numa tentativa de garantir um acordo comercial com os Estados Unidos, depois que negociadores americanos rejeitaram uma proposta anterior por considerá-la inadequada, segundo pessoas com conhecimento do assunto.

Na rodada de negociações comerciais da semana passada, em Washington, a delegação chinesa liderada pelo vice-primeiro-ministro Liu He revisou sua oferta anterior de acesso a computação na nuvem, propondo emitir mais licenças para a operação de centros de dados e suspender um limite de 50% de participação para certos provedores de serviços na nuvem estrangeiros, disseram as fontes. Os dois lados continuam discutindo o assunto nesta semana por meio de teleconferências, de acordo com uma das fontes.

As concessões têm como objetivo facilitar a assinatura de um pacto comercial geral entre EUA e China. Ontem, o Secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, disse que os dois lados concordaram estabelecer um mecanismo para monitorar o cumprimento de um eventual acordo, sugerindo novo avanço nas conversas.

Ainda é incerto, porém, se um acordo será de fato fechado e quando poderá ocorrer uma possível reunião de cúpula entre os presidentes dos EUA, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, embora Trump tenha dito na semana passada que os dois governos pretendem chegar a um pacto nas próximas quatro semanas. Fontes dizem que o possível local de um encontro entre os líderes seria o resort de Mar-a-Lago de Trump, na Flórida.