Comitê do Banco Central mantém taxa de juros em 13,75% ao ano

Comitê do Banco Central mantém taxa de juros em 13,75% ao ano

Apesar da pressão do governo para diminuição da Selic, membros do Copom confirmam previsões da continuidade de juros altos

R7

Banco Central anunciou redução da taxa básica de juros pela quarta vez seguida

publicidade

Na segunda reunião sob o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, os membros do Copom (Comitê de Política Monetária) do BC (Banco Central) decidiram manter a taxa básica de juros da economia nacional, a Selic, em 13,75% ao ano. O anúncio foi feito nesta quarta-feira, ao final do segundo dia do encontro, contrariando o que o presidente queria: a diminuição do valor da taxa. 

Para o governo Lula, o atual patamar da Selic é visto como um entrave para o crescimento econômico do país. O Copom disse que a decisão é "compatível com a estratégia de convergência da inflação para o redor da meta ao longo do horizonte relevante, que inclui os anos de 2023 e, em grau maior, de 2024. Sem prejuízo de seu objetivo fundamental de assegurar a estabilidade de preços, essa decisão também implica suavização das flutuações do nível de atividade econômica e fomento do pleno emprego". As discussões começaram na manhã da terça-feira. 

A decisão confirma as expectativas de economistas e agentes do mercado de que o BC não iria ceder à pressão do Executivo, mantendo a taxa em seu maior nível desde 2017, pelo menos por mais 45 dias. Desde agosto de 2022, a Selic está em 13,75%, segundo o banco, visando trazer a inflação de volta para o centro da meta.

A perspectiva geral é de que o BC ainda vá manter os juros básicos em nível elevado por mais algum tempo, uma vez que as expectativas para a inflação no ano superam o teto da meta. A nova projeção para o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) é que ele chegue ao fim de 2023 na casa dos 6%.

Aumentar os juros é um instrumento de política monetária para tentar reduzir a inflação. Na teoria, os juros mais altos encarecem o crédito, reduzem a disposição para consumir, e estimulam novas alternativas de investimento.

As reuniões do Copom sempre são divididas em duas sessões, a primeira é voltada a apresentações e análises da atual conjuntura econômica do país, e a segunda, destinada à decisão sobre a Taxa Selic, informa o BC. Integram o comitê o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e os diretores da instituição. Chefes de alguns departamentos do banco participam da primeira sessão da reunião. 


Se você é um empreendedor atingido pelas cheias, saiba como recomeçar

Sebrae RS apurou que 600 mil micro e pequenas empresas foram afetadas diretamente em todo o Estado

Mais Lidas





Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895