Artista transforma hobby em negócio

Artista transforma hobby em negócio

Bruno Lorenz desenha imóveis de Porto Alegre e compartilha conhecimentos ensinando a técnica

Correio do Povo

Durante inundações, artista ilustrou cenas na Capital, como a cheia na Casa de Cultura Mário Quintana

publicidade

Unindo o gosto pela arquitetura e pelo desenho, Bruno Lorenz criou o projeto Uns Predinhos. A curiosidade por histórias de imóveis em Porto Alegre motiva o designer a registrar os traços e compartilhar as imagens no perfil @unspredinhos, no Instagram. “Algumas pessoas começaram a me pedir encomendas”, conta.

No início, Lorenz não queria transformar o hobby em um trabalho e costumava doar as gravuras ou vender por um valor simbólico para reverter a ONGs. Porém, no início deste ano, buscando uma transição profissional, o artista transformou o passatempo em um negócio. “Todo mundo tem um local onde se sente bem, onde teve boas memórias e gostaria de retratar esses desenhos. Então, é isso que eu faço”, explica.

Além de prédios, também desenha objetos e passou a integrar ao negócio as aulas de desenho. Lorenz tem um atelier no centro cultural Vila Flores, o qual ficou inacessível, devido à enchente do mês passado. Durante as inundações, ilustrou algumas cenas na Capital, como a cheia na parte térrea da Casa de Cultura Mário Quintana.

“Acho que mais do que documentar, refleti sobre o que estava acontecendo. Eu sigo uma frase que diz ‘aquilo que não desenhei, nunca de fato vi’. Então, eu desenho para primeiro observar com atenção e depois refletir sobre aquilo que estou desenhando.”

Soluções de crédito

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) terá, até 28 de junho, um posto avançado na sede do Conselho Regional de Contabilidade do RS, no bairro Petrópolis, em Porto Alegre. O objetivo é apresentar soluções de crédito e garantia aos empresários e produtores atingidos pelas cheias. Entidades empresariais podem agendar atendimento pelo e-mail bndesnors@sedec.rs.gov.br.

Número subiu

Empresas que duram mais de três anos e meio têm crescido no Brasil, conforme o Sebrae. Pesquisa feita com a Anegepe e a Global Entrepreneurship Monitor mostra que o número desses empreendedores subiu de 10,96 milhões para 14,9 milhões em 2023, cerca de 12% da população adulta. Para André Minucci, mentor de empresários, o momento é propício para quem deseja iniciar um negócio.


Azeite gaúcho é destaque global

Agroindústria de Viamão recebe no Japão título de melhor blend, entre outros prêmios

Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895