Filial europeia do banco russo Sberbank em 'quebra ou provável quebra', diz BCE

Filial europeia do banco russo Sberbank em 'quebra ou provável quebra', diz BCE

Dois maiores bancos russo têm sido desde quinta-feira alvo de sanções americanas

AFP

publicidade

O Banco Central Europeu (BCE) constatou na segunda-feira (noite de domingo, 27, no Brasil, a "quebra ou provável quebra" da filial europeia do banco russo Sberbank, um dos maiores do país, devido a retiradas "significativas" de depósitos em meio à crise na Ucrânia e a sanções ocidentais.

Com sede na Áustria e filiais na Croácia e na Eslovênia, o Sberbank Europe AG "teve saídas de depósitos significativas como resultado do impacto das tensões geopolíticas", explicou o organismo de supervisão bancária do BCE em um comunicado. A entidade alertou que "no futuro próximo, é provável que o banco não possa pagar suas dívidas ou outros passivos à medida que vencerem".

As retiradas provocaram uma "deterioração de sua liquidez" e "não há medidas disponíveis com possibilidades realistas" de restabelecer o fluxo de caixa da instituição. Em seguida, o regulador austríaco FMA impôs uma "moratória sobre a filial europeia", com o que não poderá realizar "nenhuma retirada, transferência ou outra transação" pelo menos até 2 de março. Segundo a regulamentação europeia, os depósitos de pessoas físicas são garantidas até 100.000 euros.

Em um comunicado, a presidente executiva do Sberbank Europe AG, Sonja Sarközi, afirmou que está "em contato estreito com as autoridades de regulamentação competentes" para ajudar na resolução desta "situação sem precedentes, pensando no interesse dos clientes". A filial na Eslovênia informou que "registrou uma saída importante de fundos em pouco tempo" e "decidiu fechar suas agências por dois dias", limitando os saques e pagamentos a 400 euros por dia.

Os dois maiores bancos russos, Sberbank e VTB Bank, têm sido desde quinta-feira alvo de sanções americanas, que buscam limitar suas transações internacionais devido à invasão russa da Ucrânia.

As sanções dirigidas ao sistema bancário russo foram reforçadas no sábado com o anúncio de sua exclusão da plataforma de transações bancárias internacionais SWIFT.

O Sberbank Europe AG pertence 100% à central russa do banco. Também possui filiais em Bósnia-Herzegovina, República Checa, Hungria e Sérvia, que seriam afetadas pela quebra, mas estão sob a jurisdição do BCE. O supervisor europeu informou que tem "coordenado com as autoridades nacionais" nestes países.

 


Azeite gaúcho é destaque global

Agroindústria de Viamão recebe no Japão título de melhor blend, entre outros prêmios

Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895