IBC-Br sobe 0,89% no acumulado de 2019, mostra Banco Central
capa

IBC-Br sobe 0,89% no acumulado de 2019, mostra Banco Central

Índice é uma prévia para o Produto Interno Bruto (PIB)

Por
AE

Conhecido como uma espécie de "prévia do BC" para PIB, o IBC-Br serve mais precisamente como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses

publicidade

O Índice de Atividade do Banco Central (IBC-Br) acumulou alta de 0,89% no acumulado de 2019, informou nesta sexta-feira, 14, o Banco Central (BC). O porcentual diz respeito à série sem ajustes sazonais. Conhecido como uma espécie de "prévia do BC" para o Produto Interno Bruto (PIB), o IBC-Br serve mais precisamente como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses.

O IBC-Br tembém registrou alta de 0,46% no acumulado do quarto trimestre de 2019, na comparação com os três meses anteriores (julho a setembro), pela série ajustada. O BC informou ainda que o índíce acumulou alta de 1,36% no quarto trimestre do ano passado ante o mesmo período de 2018, pela série sem ajustes sazonais.

A projeção do BC para a atividade doméstica em 2019 é de avanço de 1,2%. Para 2020, a estimativa é de 2,2%. Os dados do PIB de 2019 serão divulgados apenas no início de março, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Dado mensal

Após recuar 0,11% em novembro (dado revisado), a economia brasileira teve novo resultado negativo em dezembro de 2019. Segundo o Banco Central, o IBC-Br caiu 0,27% em dezembro ante novembro, na série com ajuste sazonal. Foi o segundo recuo mensal consecutivo.