Macron: acordo UE-Mercosul não é possível se América Latina violar normas ambientais

Macron: acordo UE-Mercosul não é possível se América Latina violar normas ambientais

Os dois blocos anunciaram um acordo comercial em 2019, após mais de 20 anos de negociações complexas

AFP

publicidade

O presidente da França, Emmanuel Macron, advertiu neste sábado (25) que o acordo comercial entre a União Europeia e os países do Mercosul "não é possível" se as nações da América Latina não respeitarem as normas ambientais como os europeus.

"Um acordo com os países latino-americanos não é possível se não respeitarem os acordos de Paris (sobre o clima) como nós e se não respeitarem as mesmas restrições ambientais e sanitárias que nós impomos aos nossos produtores", declarou Macron durante uma visita à Feira Internacional de Agricultura em Paris.

O Mercosul é integrado por Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, todos importantes potências agrícolas.

"Quando as restrições são impostas aos nossos produtores, nós devemos impô-las aos alimentos que importamos, algo que não é feito de modo suficiente a nível europeu", disse Macron.

UE e Mercosul anunciaram um acordo comercial em 2019, após mais de 20 anos de negociações complexas, mas o texto não foi ratificado devido à preocupação na Europa com a política para o meio ambiente do ex-presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

O tom mudou e ficou mais favorável após a volta ao poder do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e, no início deste ano, o vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, disse que a UE pretende assinar o acordo até julho.

Os agricultores franceses - os criadores de gado em particular - temem a entrada no mercado comunitário de produtos agrícolas sul-americanos sujeitos a padrões de produção menos exigentes que os da UE.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895