Mulheres são quase metade dos MEIs de Porto Alegre e prefeitura busca capacitar as empreendedoras

Mulheres são quase metade dos MEIs de Porto Alegre e prefeitura busca capacitar as empreendedoras

Dado foi divulgado em evento sobree o Legado do Empreendedorismo Feminino na Federasul

Kyane Sutelo

Convidadas compartilharam suas experiências e conhecimento no Tá na Mesa, da Federasul

publicidade

Quase metade dos Microempreendedores Individuais (MEIs) de Porto Alegre são mulheres: 47%, conforme a secretária de Desenvolvimento Econômico e Turismo da Capital (SMDET), Júlia Tavares. Ela apresentou o dado ontem, na reunião-almoço Tá na Mesa, da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul).

A secretária afirmou que ações estão sendo realizadas na Capital para auxiliar empreendedoras locais. “A prefeitura oferece, principalmente, em parceria com o Sebrae, cursos de capacitação, em boas práticas de alimentação, em educação financeira, que acho que é algo essencial”, disse ela. E complementou: “Temos o desafio de tornar Porto Alegre cada vez mais próspera”.

No evento, baseado no tema Legado do Empreendedorismo Feminino, a presidente do Conselho da Mulher Empreendedora da Federasul, Simone Leite, recuperou a trajetória de avanços das mulheres e sua relevância à sociedade. "Nós não temos, hoje, como falar sobre desenvolvimento econômico e desenvolvimento social sem trazer as mulheres para o centro desse debate", assinalou Simone.

Além da secretária de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Porto Alegre, participaram como convidadas a idealizadora da Quinta da Estância, Sônia Goelzer e a co-fundadora e sócia-diretora da Royal Trudel Patricia Turmina. Ambas compartilharam suas experiências como empreendedoras.

“Eu não brincava de casinha brincava de vendedora. Chegava em casa, pegava uns cacarecos e vendia na entrada do prédio. Meu pai comprava de volta o que ele gostava muito”, contou Patricia, arrancando risos dos presentes. Ela reconheceu que teve o privilégio do investimento dos pais, mas disse que trabalhou muito para abrir seu empreendimento ao lado do irmão.

Sônia também fez crescer seu negócio junto da família. Ela, que hoje é responsável pela produção de um azeite de oliva premiado internacionalmente, enfatizou a importância da rede de apoio às empreendedoras.  "Todo o crescimento da Quinta foi um trabalho em conjunto. Eu nunca fiquei só", relembrou a representante da Quinta da Estância.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895