Para sobreviver, British Airways vende taças de champanhe e outros objetos do Boeing 747

Para sobreviver, British Airways vende taças de champanhe e outros objetos do Boeing 747

Setor aéreo foi um dos mais afetados com a pandemia do coronavírus

AFP

British Airways vende taças de champanhe e outros objetos do Boeing 747

publicidade

A companhia aérea British Airways, irmã da Iberia no berço do International Airlines Group (IAG), anunciou nesta segunda-feira a venda online das louças usadas em seus aviões e outros objetos de seus Boeing 747. A empresa foi muito afetada pela pandemia do coronavírus.  

Entre os objetos estão as taças de champanhe usadas na primeira classe, as sapatilhas e mantas, vendidos online "para recriar uma experiência mágica de voo em casa", anunciou a companhia em um comunicado. Os colecionadores também podem adquirir artigos, como os carrinhos de alimentação, usados em seus Boeing 747, agora fora da frota.

Para melhorar suas finanças, a companhia aérea já havia decidido vender obras de arte expostas em seus salões. No mês passado, a IAG anunciou uma perda líquida de 1,76 bilhão de euros (2,08 bilhões de dólares) no terceiro trimestre devido ao colapso do tráfego como consequência das restrições de viagem na Europa para combater a propagação do coronavírus.

Veja Também

No terceiro trimestre de 2019, o grupo registrou um lucro líquido de 1 bilhão de euros. Ele já alertou que o final do ano seria difícil e registrou perdas de 5,6 bilhões de euros desde o início de 2020.

Para superar a crise, a IAG desenvolveu uma profunda reestruturação, que inclui a demissão de 13.000 funcionários na British Airways. O grupo também reduziu seus gastos de capital. Em particular, adiou a entrega de 68 novos aviões para 2022 e decidiu retirar antes do previsto seus Boeing 747, apelidados de "Jumbo Jets" devido ao seu tamanho enorme.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895