Prévia da inflação registra maior variação para o mês de abril desde 2015, diz IBGE

Prévia da inflação registra maior variação para o mês de abril desde 2015, diz IBGE

Grupo dos Transportes foi o item que teve maior impacto individual no índice

Correio do Povo

Preço da gasolina voltou a subir

publicidade

Após registrar 0,54% em março, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação, acelerou para 0,72% em abril, valor mais alto desde junho de 2018, quando houve a greve dos caminhoneiros. Esse é, também, a maior variação para abril desde 2015. A escalada foi motivada sobretudo pelo aumento nos preços dos grupos Transportes e Alimentação e bebidas. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Entre as Capitais, Porto Alegre (1,27%) ficou com a maior alta. Salvador (1,06%), Fortaleza (0,99%) e Recife (0,90%) viram na sequência, enquanto apenas Goiânia (-0,01%) registrou deflação em abril, em função, especialmente, da queda de 1,62% nos preços da gasolina. Para o cálculo, os preços foram coletados no período de 16 de março a 12 de abril de 2019 e comparados com aqueles vigentes de 13 de fevereiro a 15 de março de 2019. 

Em relação aos grupos, os Transportes registraram a maior alta (1,31%), o que deve ser atribuído aos combustíveis, especialmente a gasolina, com variação de 3,22%. Ela é o item que teve maior impacto individual no IPCA-15. A maior alta foi na região metropolitana de Porto Alegre, onde o preço nas bombas de combustível subiu, em média, 9,73% na comparação com o mês anterior. O etanol (de 2,64% para 2,74%) e o óleo diesel (de 0,67% para 1,06%) também subiram, com leve aceleração no nível de preços de um mês para o outro.

Ainda em Transportes, destaca-se a variação dos ônibus urbanos. Novamente a Capital gaúcha liderou os aumentos devido ao reajuste de 9,30% a partir de 13 de março. Outros meios de transporte, como o trem e o metrô, também tiveram seus preços reajustados em algumas áreas pesquisadas. No primeiro, a alta reflete o reajuste de 27,30% no valor da passagem em Porto Alegre (23,89%), vigente desde a mesma data.

O resultado do grupo Saúde e cuidados pessoais (1,13%) foi influenciado principalmente pelo item higiene pessoal (2,61%), O destaque foram os perfumes, que inflacionaram 6,94% em abril. Houve alta também nos remédios (0,72%), refletindo parte do reajuste anual, em vigor desde 31 de março.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895