Produção industrial do RS tem avanço de 2,6% no acumulado de 2019, diz IBGE
capa

Produção industrial do RS tem avanço de 2,6% no acumulado de 2019, diz IBGE

No entanto, o Estado registrou recuo de 1,2% na passagem de novembro para dezembro

Por
Correio do Povo

No entanto, o Estado registrou recuo de 1,2% na passagem de novembro para dezembro

publicidade

A produção industrial do Rio Grande do Sul atingiu entre janeiro e dezembro de 2019 o avanço de 2,6% no indicador acumulado, frente a igual período do ano anterior. Segundo dados apresentados nesta segunda-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o território gaúcho está entre os estados que registraram taxas mais elevadas, ficando atrás somente do Paraná (5,7%), Amazonas (4%) e Goiás (2,9%).

Na semana passada, o IBGE já havia anunciado que a produção industrial nacional apresentou uma queda de 1,1% em 2019, após dois anos consecutivos de alta em 2017 (2,5%) e 2018 (1%).

Variação de novembro para dezembro 

Já na passagem de novembro para dezembro, série com ajuste sazonal, o Rio Grande do Sul apresentou recuo de 1,2%. A pesquisa aponta que 12 dos 15 locais investigados mostraram taxas negativas na produção industrial. Mato Grosso (-4,7%), Rio de Janeiro (-4,3%) e Minas Gerais (-4,1%) assinalaram os recuos mais acentuados, com o primeiro interrompendo cinco meses consecutivos de avanço na produção, período em que registrou expansão de 11,1%; o segundo devolvendo parte do ganho de 4,6% verificado nos meses de outubro e novembro de 2019; e o último marcando a terceira taxa negativa consecutiva e acumulando perda de 8,7% nesse período.

Por outro lado, Paraná (4,8%) e Pará (2,9%) apontaram os avanços mais elevados nesse mês, com o primeiro eliminando parte da perda de 8,2% acumulada nos meses de outubro e novembro últimos; e o segundo interrompendo três meses consecutivos de queda na produção, período em que acumulou recuo de 12,1%.

Média móvel trimestral

O índice de média móvel trimestral para o total da indústria recuou 0,5% no trimestre encerrado em dezembro de 2019 frente ao nível do mês anterior, intensificando, dessa forma, o resultado negativo registrado em novembro de 2019 (-0,2%), quando interrompeu a trajetória ascendente iniciada em julho de 2019.

Doze dos 15 locais pesquisados apontaram taxas negativas nesse mês, com destaque para os recuos mais acentuados assinalados por Espírito Santo (-4,7%), Minas Gerais (-3,0%), Pernambuco (-1,8%), Bahia (-1,7%), Paraná (-1,3%), Rio Grande do Sul (-1,0%) e São Paulo (-0,8%). Por outro lado, Amazonas (0,2%) e Região Nordeste (0,2%) mostraram os avanços em dezembro de 2019.

Comparação com dezembro de 2018

Na comparação com igual mês de 2018, o setor industrial mostrou redução de 1,2% em dezembro de 2019, com sete dos 15 locais pesquisados apontando resultados negativos. Espírito Santo (-24,8%) e Minas Gerais (-13,6%) assinalaram os recuos mais intensos. Bahia (-4,7%), Goiás (-2,6%) e São Paulo (-1,6%) também registraram taxas negativas acima da média da indústria (-1,2%), enquanto Rio Grande do Sul (-0,6%) e Pernambuco (-0,4%) completaram o conjunto de locais com recuo na produção nesse mês.

Por outro lado, Amazonas (12,2%) apontou o maior avanço em dezembro de 2019. Rio de Janeiro (4,5%), Ceará (4,5%), Região Nordeste (3,8%), Paraná (2,5%), Pará (1,4%), Santa Catarina (1,1%) e Mato Grosso (0,9%) também mostraram taxas positivas nesse mês.