Governo do RS e prefeitura de Santa Maria entregam protocolo para instalação de escola militar

Governo do RS e prefeitura de Santa Maria entregam protocolo para instalação de escola militar

Objetivo é somar esforços para viabilizar a instalação da nova escola para formação e graduação de sargentos de carreira do Exército

Lu Winck

Encontro ocorreu nesta terça-feira

publicidade

Durante a visita do comandante do Exército, general de exército Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, ao Palácio Piratini, nesta terça-feira, o governador Eduardo Leite e o prefeito de Santa Maria, Jorge Pozzobom, assinaram e entregaram um protocolo de intenções entre o Estado e o município com o objetivo de somar esforços para viabilizar a instalação da nova escola para formação e graduação de sargentos de carreira do Exército.

“Não vamos poupar esforços, aqui no Rio Grande do Sul, para trazer a nova escola para cá. Só digo isso porque consideramos importante e porque temos capacidade para fazer o que for necessário”, destacou o governador. “Nós gaúchos temos uma íntima ligação com a vida da família militar e, após reformas estruturantes importantes no governo, estamos investindo fortemente em melhorias, seja em infraestrutura com voos regionais e obras viárias, seja em saneamento, segurança e educação. Além disso, a prefeitura está comprometida com investimentos no município e temos apoio da bancada federal para fazer ainda mais, pois este é, para nós, um projeto estratégico para o Rio Grande do Sul”, completou Leite.

Inicialmente competindo com outros 15 municípios brasileiros, Santa Maria está entre os três cotados para receber a nova Escola de Sargentos das Armas (ESA). A primeira finalista a ser visitada será a cidade gaúcha, para onde o comandante se deslocou depois dos compromissos na capital. Após, o general irá a Ponta Grossa, no Paraná, e Recife, em Pernambuco, conhecer as estruturas dos municípios concorrentes. A decisão pode ser anunciada em agosto. O objetivo do Exército é construir uma escola única, capaz de agregar a atual formação de sargentos feita de forma descentralizada em diferentes locais do país, reunindo cerca de 2,2 mil alunos. De acordo com o comandante Paulo Sérgio, a expectativa é de que a instituição envolva mais de 3 mil pessoas e seja capaz de injetar cerca de R$ 300 milhões por ano na economia do local onde for construída.

Para isso, Santa Maria está disponibilizando um terreno com área mínima de 2 quilômetros quadrados próximo ao espaço urbano para a construção do prédio destinado às atividades teóricas e outro de 50 quilômetros quadrados anexo para as práticas de ensino. O investimento é estimado em R$ 1 bilhão. Pozzobom exibiu vídeos e destacou características e a qualidade do município para receber a ESA, como a facilidade de acesso a todo o Estado e países da América Latina, voos regionais, custo de vida relativamente baixo, excelentes hospitais, uma das melhores universidades federais do país, a UFSM, ótimas escolas e bons níveis de segurança pública, além de previsão de investimentos. “Assinamos hoje e entregamos não apenas um protocolo de intenções, mas um contrato de resultados. O Estado e a prefeitura estão se comprometendo em entregar obras, fazer melhorias na infraestrutura estadual e municipal, além de garantir tudo o que for preciso para construir a escola. Não se trata apenas do que queremos fazer. Garantimos que Santa Maria e o Rio Grande do Sul estão prontos para recebê-los”, afirmou Pozzobom.

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895