MEC vai retomar 4 mil obras no país

MEC vai retomar 4 mil obras no país

Ações devem abranger de creches a campi acadêmicos

Correio do Povo

IFRS anunciou aumento de 75% nas bolsas de fomento interno

publicidade

O governo federal prevê retomar cerca de 4 mil obras paradas em universidades e institutos federais de Educação Superior no país. As ações, segundo o ministro da Educação, Camilo Santana, devem abranger de creches a campi acadêmicos.

“Já fizemos todo um levantamento, sobre onde estão e que tipo de obra. Precisará um arcabouço jurídico legal para permitir a retomada de muitas dessas obras. Tem obra, desde 2007, em que já foram encerrados os convênios”, explicou o ministro. Segundo ele, uma medida provisória deve ser editada para permitir a retomada das obras.
Na cerimônia que divulgou os novos valores das bolsas de pesquisa na quinta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva também informou o investimento federal de cerca de R$ 23 bilhões em obras, somente neste ano.

Outro anúncio que logo deve sair, conforme Camilo e Lula, é o reajuste no valor da merenda escolar, há pelo menos seis anos defasado. Os recursos são repassados a estados e municípios, para a compra da merenda para estudantes da rede pública. Sem antecipar os valores, o ministro disse que a previsão é de que sejam acima da inflação acumulada no período. A informação já havia sido adiantada, nesta semana, ao jornal Correio do Povo, pelo reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RS (IFRS), Júlio Heck, que participou do evento em Brasília.

O reitor Júlio também informou que, em breve, o presidente e os ministros da Educação e de Ciência e Tecnologia devem viajar pelo país para conhecer o trabalho que está sendo realizado nas Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes).

IFRS

Após o anúncio do governo federal do reajuste e também da ampliação, em 26%, no número de bolsas do país, o IFRS também revelou aumento, de 75%, no benefício, pela atuação em projetos de ensino, pesquisa e extensão. Dessa forma, alunos de Ensino Médio e Superior, que realizam 16 horas semanais de ações em projetos com fomento interno, passarão a receber R$ 700,00, mensalmente, a partir do dia 1º de maio.

De acordo com o Instituto, o reajuste segue o que está sendo concedido às bolsas de iniciação científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O reitor do IFRS, Júlio Heck, argumenta que o reajuste é um reconhecimento ao empenho dos bolsistas nas ações. “As bolsas também contribuem para a permanência dos estudantes no IFRS. E a atuação estimula a vivência de novas situações; identificação da abrangência das diferentes áreas profissionais; bem como a experimentar práticas educativas, científicas e inovadoras. Dessa forma, impactam positivamente no desenvolvimento acadêmico e na formação integral e cidadã”, salienta




Inscrições abertas para pós-graduação: Confira a agenda desta quinta

Instituições ofertam especializações, MBAs, mestrados e doutorados

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895