Rio Grande do Sul poderá receber quinta escola cívico-militar em programa do MEC
capa

Rio Grande do Sul poderá receber quinta escola cívico-militar em programa do MEC

Há a possibilidade de instituição de ensino ser aplicada em Bagé

Por
Correio do Povo

Quatro municípios do Rio Grande já estão confirmados para participar de programa do MEC envolvendo escolas cívico-militares

publicidade

O Rio Grande do Sul poderá ampliar, para cinco, o número de municípios com escolas cívico-militares. Além de Uruguaiana, Alegrete, Alvorada e Caxias do Sul, confirmadas em novembro/2019 pelo MEC, Bagé poderá fazer parte do Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares, em 2020. Caso essa notícia se confirme, será um dos estados com o maior número de instituições no projeto-piloto. 

A costura política entre o Ministério da Educação (MEC) e o RS passou pelos deputados estaduais Tenente-Coronel Zucco e Rodrigo Lorenzoni. Bagé entrou na lista, após a desistência de uma escola em Rondônia. Lorenzoni informou que o RS tem boas chances de ficar com esse recurso e ampliar o número de cidades contempladas, de quatro para cinco.

O programa a ser executado pelo ministério prevê investir R$ 54 milhões em todo o país, colocando mais de mil militares das Forças Armadas, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar para trabalhar como monitores, com a contrapartida de 30% de adicional no salário. “Essa possibilidade é uma importante notícia que o deputado nos traz, e apoiaremos o pedido junto ao ministério, para que mais uma escola gaúcha seja contemplada”, declarou o governador Eduardo Leite.

A proposta do deputado Zucco, aprovada em plenário, na Assembleia Legislativa, no ano passado, prevê atuação de civis nas áreas de ensino e pedagógica; e terá militares colaborando na formação dos estudantes. Cada instituição de ensino contemplada terá aporte de R$ 1 milhão, em incentivos do governo federal, incluindo a compra de uniformes. Conforme Zucco, o objetivo da proposta é incorporar aos alunos atitudes e valores sociais, patrióticos e familiares. Os futuros monitores que atuarão nas escolas públicas – municipais e estaduais – terão remuneração mensal de R$ 2,4 mil.