1,5 milhão de pessoas estão com segunda dose da Coronavac em atraso, diz Ministério da Saúde

1,5 milhão de pessoas estão com segunda dose da Coronavac em atraso, diz Ministério da Saúde

Número foi informado pela coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, Francieli Fantinato

R7

Ministério da Saúde revela que há 1,5 milhão de pessoas que não tomaram a segunda dose da Coronavac

publicidade

Durante um café da manhã com jornalistas, nesta terça-feira, a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI), a enfermeira Francieli Fantinato, comentou que as coberturas vacinais estão registrando decréscimo. 

"(Aproximandamente) 1,5 milhão de pessoas tomaram a primeira dose e não tomaram a segunda. Quem não foi nos 28 ou 84 dias (após a primeira dose), tem que ir", alertou. "Estamos avaliando esses impactos. A necessidade agora é de sentar com estados e municípios para recuperar essas necessidades vacinais. Essa redução de cobertura vacinal não é só com relação à pandemia", disse ela, acompanhada do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. 

Veja Também

A coordenadora do PNI disse ainda que o governo pretende vacinar 72,7 milhões de brasileiros em risco. "Atingindo esses grupos, a indicação é ampliar para toda população brasileira. Queremos a redução de complicações e óbitos, manutenção da força de trabalho e do setor de saúde", informou. 

A preocupação com o atraso no término do ciclo de imunização já havia sido manifestada nessa segunda por Queiroga. Em Porto Alegre, a Diretoria de Vigilância em Saúde informou que a cidade teria 19 mil pessoas que já tomaram a primeira dose da Coronavac, mas não se apresentaram para receber a segunda. O dado ainda precisa ser cruzado com o número de óbitos da Capital desde o começo da vacinação, mas é uma estimativa da Secretaria Municipal de Saúde. 

O diretor da Vigilância em Saúde da Capital, Fernando Ritter, explicou que além de idosos e dos idosos acamados, há ainda profissionais de saúde e integrantes dos povos indígenas entre aqueles que não receberam a segunda dose da vacina contra a Covid-19. 

A reação do governo do Rio Grande do Sul foi mobilizar sua estrutura para elaborar relatórios que serão enviados às vigilâncias municipais. A ideia é auxiliar as prefeituras a encontrarem as pessoas que ainda precisam receber a segunda dose da Coronavac. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895