Anvisa e Butantan discutem pesquisa de soro contra Covid-19

Anvisa e Butantan discutem pesquisa de soro contra Covid-19

Reunião ocorre nesta sexta-feira, após críticas do governador de São Paulo, João Doria, sobre a demora da agência reguladora

R7

Reunião ocorre nesta sexta-feira, após críticas do governador de São Paulo, João Doria, sobre a demora da agência reguladora

publicidade

Técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vão se reunir, na tarde desta sexta-feira, com representantes do Instituto Butantan para discutir o início de testes em humanos de um soro contra Covid-19 desenvolvido pela entidade paulista. De acordo com a agência, a primeira documentação foi apresentada pelo Butantan em 2 de março, mas sem o protocolo clínico da pesquisa, o que é indispensável.

Outro documento necessário — Dossiê Específico de Ensaios Clínico — foi entregue em 10 de março, segundo a Anvisa. O encontro de hoje será para "tratar das informações faltantes", diz um comunicado. "É importante esclarecer também que nenhum estudo em humanos com esse soro foi realizado até o momento, o que requer atenção da agência reguladora na análise. As informações que se tem até o momento referem-se a estudos em animais."

Crítica de Doria

A reunião já estava agendada desde o começo da semana, mas mesmo assim o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) criticou a agência pelo que ele entende como demora.

Pelo Twitter, Doria disse que a burocracia da Anvisa é uma "má notícia" para os pacientes que sofrem com a covid-19 e que "falta senso de urgência" do órgão. "Para piorar, o Ministério da Saúde mandou uma comitiva para Israel para conhecer o soro produzido por lá. Por que ignorar o que pode ser produzido no Brasil?", indagou o tucano.

O soro é produzido a partir do plasma de cavalos que recebem o coronavírus inativado. Eles desenvolvem alto nível de anticorpos que podem ser usados no tratamento de pessoas que estão infectadas.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895