Anvisa impõe autorização prévia para exportação de kit intubação

Anvisa impõe autorização prévia para exportação de kit intubação

Cloroquina e ivermectina, que não são eficazes contra a Covid-19, continuam na lista

R7

Remédios que integram o kit intubação só poderão ser exportados após pedido de autorização prévia

publicidade

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estabeleceu que remédios que integram o kit intubação, usado no procedimento de intubação, poderão ser exportados apenas após pedido de autorização prévia. A resolução foi publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial da União.

A determinação altera uma resolução de março do ano passado que trata da autorização prévia de venda para o exterior de matéria-prima e produtos farmacêuticos destinados ao combate da Covid-19.

Os medicamentos que exigem autorização prévia temporária da agência são nitazoxanida, cloroquina, hidroxicloroquina, azitromicina, fentanil, midazolam, etossuximida, propofol, pancurônio, vecurônio, rocurônio, succinilcolina, ivermectina, heparina sódica suína, heparina sódica bovina, enoxaparina sódica, dexmedetomidina. Além de sais, éteres e ésteres dessas substâncias, oxigênio medicinal e vacinas contra a covid, já divulgados.

Apesar de comprovadamente não eficazes contra a Covid-19, a cloroquina, hidroxicloroquina e ivermectina ainda fazem parte da lista.

"A vigência desta resolução cessará automaticamente a partir do reconhecimento pelo Ministério da Saúde de que não mais se configura a situação de emergência em saúde pública de importância nacional", informa a Anvisa.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895