Assembleia Legislativa concede Medalha do Mérito Farroupilha ao jornalista Alexandre Garcia

Assembleia Legislativa concede Medalha do Mérito Farroupilha ao jornalista Alexandre Garcia

Além de afirmar que a “democracia é preservar a lei”, Garcia defendeu a liberdade de expressão

Felipe Samuel

Jornalista é natural de Cachoeira do Sul

publicidade

A Assembleia Legislativa concedeu nesta segunda-feira a Medalha do Mérito Farroupilha ao jornalista Alexandre Garcia. Aos 81 anos, o colunista do Correio do Povo recebeu a honraria, proposta pelo deputado Capitão Macedo (PL), em solenidade no Salão Júlio de Castilhos. Após receber a medalha, Garcia destacou o começo da carreira na sucursal do Jornal do Brasil, em Porto Alegre, lembrou das mais de quatro décadas em Brasília e criticou decisões do Supremo Tribunal Federal (STF).

Com a experiência de quem reside há 46 anos em Brasília, Garcia – que nasceu em Cachoeira do Sul – afirmou que tem visto “mais maus exemplos do que bons”, com pessoas que usam um mandato para crescer na vida. E também criticou a atuação de juízes do STF e “vigarices sustentadas por decisões judiciais”. “Os Juízes têm que ser imparciais, isentos, e não é o que estamos vendo hoje. Tem juiz da Suprema Corte no exterior que fala mal de uma instituição permanente brasileira, no caso as Forças Armadas”, ressaltou.

Além de afirmar que a “democracia é preservar a lei”, Garcia defendeu a liberdade de expressão.  “Contraponto é a essência para descobrir a luz. Gente que gosta de falar pros seus próprios não tem graça, não conquista ninguém”', completou. Proponente da homenagem, o deputado Macedo destacou a trajetória profissional de Garcia, afirmou que “vivemos tempos obscuros e conturbados” e sugeriu que o STF e parte da imprensa brasileira são responsáveis pelo cenário atual. Na avaliação do parlamentar, a liberdade de expressão e a imunidade parlamentar estão sob constante ameaça.

“Infelizmente a situação é preocupante, tudo porque a ameaça a dois pilares básicos e fundamentais da democracia surge exatamente daqueles que deveriam proteger ou primar por ambos, que é a nossa Suprema Corte e parte da imprensa tradicional”, criticou. Macedo também questionou o ensino nas faculdades de jornalismo e de direito. “Alexandre Garcia diz que o bom jornalista deve se manter sempre fiel aos fatos, narrando-os tal qual ocorreram. Contudo, o que vemos hoje são diversos jornalistas que deixaram de narrar fatos mas passaram a criar narrativas, buscando encaixar qualquer fato na narrativa que se pretende passar ao povo”, avaliou.

Veja Também

 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895