Atividades com cães auxiliam idosos em Santa Cruz do Sul
capa

Atividades com cães auxiliam idosos em Santa Cruz do Sul

Projeto foi idealizado pela Vigilância Sanitária da cidade

Por
Correio do Povo

Atividades com cães auxiliam idosos em Santa Cruz do Sul

publicidade

Um projeto com utilização de cães vem ajudando idosos abrigados na Associação de Auxílio aos Necessitados de Santa Cruz do Sul (Asan). A cão-terapia teve início em 6 de maio e ocorre quinzenalmente, idealizado pela Vigilância Sanitária do município. A iniciativa usa animais do Canil Municipal para estimular as atividades de fisioterapia.

Quatro dos 60 cães do Canil estão em treinamento para trabalhar com os 94 moradores da Asan. O fisioterapeuta e adestrador André Fröhlich explica que a escolha ocorre com base no perfil dos animais. “Cães mais ativos aprendem truques com mais facilidade. Os mais calmos são ótimos para socialização.” Fröhlich conta com o suporte do fisioterapeuta da Secretaria Municipal da Saúde, Lucas Correa.

O adestramento ocorre semanalmente, no Canil. Conforme Fröhlich, que atua como voluntário no projeto, a cão-terapia ajuda também os animais, que criam condições de superar traumas. “Alguns não saíam da caixinha de jeito nenhum, como por exemplo a Branquinha. Hoje, ela permite carinho e, na medida em que vai ganhando confiança, interage com as pessoas.” Além da Branquinha, fazem parte do projeto o Pingo, a Flopi e o Véio. “A ideia é que todos os cães passem pelo adestramento, o que facilitaria muito o processo de adoção”, afirma a chefe de divisão do Canil, Bruna Molz.

Após etapa de sociabilidade, em que os idosos levam os cães para passear, fazem carinho e brincam, terá início a fisioterapia. De acordo com Fröhlich, que coordena o curso de extensão Terapia Assistida por Cães, em Novo Hamburgo, é possível direcionar o treinamento dos cachorros para tratamento de idosos ou crianças. “No asilo, é uma troca muito bonita de carinho, pois assim como muitos cães foram vítimas de maus-tratos, muitos idosos também foram abandonados pelas suas famílias.”

Para a enfermeira da Associação, Márcia Freitas, a cão-terapia possibilita inovar a rotina dos asilados sem sair do espaço da Asan. “É uma forma de trazer alegria para eles e aproximá-los dos animais”, afirma.


Bookmark and Share