Bairro Rio Branco, em Porto Alegre, recebe dedetização contra mosquito transmissor da dengue
capa

Bairro Rio Branco, em Porto Alegre, recebe dedetização contra mosquito transmissor da dengue

Medida ocorreu um dia após ser confirmado o primeiro paciente com dengue na Capital

Por
Eduardo Amaral

Homem enforme voltou de viagem ao Paraguai

publicidade

Equipes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Porto Alegre aplicaram nesta sexta-feira inseticida para combater o mosquito Aedes aegypiti, transmissor de doenças como dengue e chikungunya, no bairro Rio Branco. A dedetização ocorreu um dia após ser confirmado o primeiro paciente com dengue na Capital, um morador da região que viajou ao Paraguai, portanto considerado um caso importado. Com essa ação o governo espera evitar a infecção autóctone, quando a doença é transmitida dentro da cidade.

Foram pulverizados trechos de cinco ruas: Joaquim Pedro Salgado, Cônego Viana, Cabral, Liberdade e Vasco da Gama. Além da aplicação de inseticida, também foram feitas buscas por focos do mosquito nas casas e condomínios do bairro. O principal objetivo é reduzir o número de mosquitos fêmeas para evitar que elas piquem o portador da doença e a transmita a outras pessoas.

O gerente da Unidade de Vigilância Ambiental da SMS, Alex Lamas, acredita que ações como esta podem impedir a transmissão autóctone, mas ressalta que a conscientização da população é fundamental para diminuir os riscos de novas infecções. “Atitudes individuais são importantes para evitar um surto”, diz ele, lembrando a importância de não se deixar acumular água parada e de se ter cuidado especial com os vasos de plantas que “precisam ser lavados” pelo menos uma vez por semana.

Na avaliação de Lamas, a população já está mais consciente da importância de tomar providências para evitar a proliferação do Aedes aegypiti. “As pessoas acompanham pela mídia as informações e têm se mobilizado um pouco mais.” Ele diz que, “desde 2001”, quando foi encontrado o primeiro mosquito na cidade, é um “desafio” anual evitar uma contaminação em massa.

O site ondeestaoaedes.com.br disponibiliza o boletim semanal de capturas do Aedes. Segundo a Secretaria, o número está em curva crescente mas segue dentro do considerado moderado. Segundo Lamas, é “natural” que tenham mais mosquitos nesta época do ano devido ao calor, temperatura propícia para a reprodução do inseto.