capa

Barragem de Barão de Cocais é a que demanda mais cuidado, diz Vale

Representante da empresa informou que divergência de dados entre os sistemas de monitoramento provocou a elevação do nível de alerta

Por
R7

Barragem Sul Superior fica na mina Gongo Soco, em Barão de Cocais

publicidade

O coordenador do Comitê de Respostas Imediatas da Vale, Marcelo Klein, afirmou neste sábado que a barragem Sul Superior, de Barão de Cocais, a 93 quilômetros de Belo Horizonte, é a estrutura da empresa que demanda mais cuidado no momento.

Na noite dessa sexta-feira, o nível de alerta da barragem foi elevado para 3, o grau máximo da escala. Segundo Klein, a mudança foi feita após um dos dois sistemas de monitoramento do muro de contenção apresentar alterações em dados. Contudo, o coordenador não informou quais problemas foram detectados.

"Como medida de prevenção, a partir do primeiro momento em que um dado foi divergente, nós tomamos a medida drástica de elevar o nível de dois para três e tomar as medidas previstas no protocolo para garantir a segurança da população", disse Klein.

Ainda segundo Klein, a empresa independente contratada para fiscalizar a estrutura da barragem Sul Superior notificou a mineradora sobre o problema na última quarta-feira. No dia seguinte, foi feita uma reunião com representantes da Defesa Civil para decidir o que seria feito.

Nesta sexta, em um novo encontro com membros do órgão, da Agência Nacional de Mineração (ANM) e do Ministério Público de Minas Gerais, o grupo chegou à conclusão de que deveria ser acionado o nível 3.

De acordo com o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, cerca de 9.000 pessoas que vivem em 3.000 imóveis estão na área secundária de risco, ou seja, em regiões em que eles terão uma hora e doze minutos para deixar os imóveis em caso de rompimento da barragem.  Godinho afirma que o tempo é o suficiente. Ainda assim, a população deve passar por treinamento de fuga até a próxima segunda-feira.

No dia oito de fevereiro, 492 pessoas que viviam na primeira área de risco, chamada de zona de autossalvamento, já foram retirados de suas casas e levados para hotéis. Nos bairros onde eles vivem, o tempo para chegada da lama é de até 30 minutos.

Barragem

A barragem Sul Superior fica na mina Gongo Soco, na cidade de Barão de Cocais. Segundo a ANM (Agência Nacional de Mineração), a estrutura tem 85 metros de altura e comporta 6 milhções de metros cúbicos de rejeitos.

Segundo a Vale, a barragem é uma das dez que são feitos pelo método a montante, que estão inativas e fazem parte do plano de descaracterização, ou seja, de desmonte, anunciado pela empresa.

Nível de risco

A ANM prevê três classificações de risco para as barragens no Brasil. Segundo o órgão de fiscalização, atualmente existem 729 estruturas que recebem rejeitos de mineração no país.

Veja o que significa cada grau de risco:

• Nível 1: Quando detectada anomalia que resulte no início de uma ISE (Inspeção de Segurança Especial) e para qualquer outra situação com potencial comprometimento de segurança da estrutura;

• Nível 2: Quando o resultado das ações adotadas na anomalia do nível anterior for classificada como “não controlada”;

• Nível 3: Quando a ruptura da barragem é iminente ou está ocorrendo.