Casal supera Covid-19 e tem alta da enfermaria no mesmo dia em Porto Alegre

Casal supera Covid-19 e tem alta da enfermaria no mesmo dia em Porto Alegre

Juntos há oito anos, a dupla vai precisar cumprir alguns dias de quarentena até retornar ao trabalho

Felipe Samuel

Casal recebeu aplausos da equipe médica do Hospital Nossa Senhora da Conceição

publicidade

Sob aplausos da equipe médica do Hospital Nossa Senhora da Conceição e com direito a trilha sonora romântica, Ricardo Rogério Gonçalves Miranda, 28, e Maria Virginia Marques do Santos, 31, tiveram alta da enfermaria e saíram abraçados nessa quinta-feira após vencer a batalha contra o novo coronavírus. Diagnosticado com quadro de pneumonia na terça-feira, o casal testou positivo para a Covid-19.

Acostumados a dividir a rotina na farmácia da família, em Viamão, na Região Metropolitana, e seguir os protocolos de higiene, o casal - que está junto há oito anos - começou a apresentar sintomas típicos da doença como falta de ar, febre e mal-estar. Preocupados com estado de saúde, procuraram o centro de triagem do Conceição. "Achamos que ia ser apavorante, mas o pessoal do hospital foi acolhedor. Os profissionais daqui são muito bons", afirma Miranda.

Embora os negócios da família estejam em Viamão, os dois residem em Alvorada, onde surgiram novos casos de infecção nos últimos dias. Miranda acredita que o casal pode ter contraído a doença no atendimento ao público e ao manusear dinheiro. "A gente costuma dizer que a gente faz tudo junto, além de trabalhar e morar junto, até na doença a gente está junto", diverte-se Miranda.

Foto: Mauro Schaefer

Maria afirma que o apoio da equipe de saúde fortalece a recuperação dos pacientes. Mesmo sem sintomas, ela e Miranda - que não tem comorbidades - ainda vão precisar cumprir alguns dias de quarentena até retornar ao trabalho. "Sair com aplauso do pessoal nos fortalece. A gente teve momentos de muito medo, porque a gente sabe que é uma doença nova. E os dois com pneumonia. Então a gente estar saindo tão rápido é uma grande vitória", destaca a jovem.

Momento delicado 

Com falta de ar, Maria lembra que passou por momento complicado. "Ficamos em quartos separados, mas sempre falando por telefone. O momento mais difícil para mim foi quando colocaram oxigênio, fiquei com muito medo. Pensei que estava piorando, mas no fim só me ajudou a melhorar mais rápido e me sentir melhor", destaca.

Preocupado com a saúde do pai, Adão, e da mãe Maria da Graça, que moram com o casal, Miranda decidiu ir para a casa da irmã Lisiane, na Capital. "Temos bastante receio, porque meu pai é do grupo de risco, tem 65 anos", observa Lisiane, que é técnica de enfermagem.

Com a experiência de já ter acompanhado a saída de outros pacientes, a enfermeira Giovana Paggiarin Skonieski também estava emocionada com a cena nos corredores do hospital. "O momento da alta é o mais especial", frisa. Giovana sempre se emociona com a saída de pacientes que venceram a Covid-19. "Isso traz uma esperança também porque o paciente Covid-19 precisa ter esperança também, precisa colocar essa esperança na recuperação dele. E esse é o momento", afirma.

Ela garante que esses momentos são contagiantes, com muitos pacientes querendo 'espiar' na porta. "Todas as vezes que os pacientes escutam palmas eles sabem que dentro de algum quarto está saindo alguém porque a gente já fala desse ritual desde a entrada deles", completa. Sobre a recuperação do casal, é só elogios. "Os dois foram muito bem e têm vida prévia sem outras doenças, isso ajudou bastante na recuperação rápida. Nenhum dos dois foi para UTI", destaca.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895