Ceasa adota sistema de prevenção à Covid-19

Ceasa adota sistema de prevenção à Covid-19

Uma das ações é a medição da temperatura corporal em todas as pessoas que transitam no local

Por
Cláudio Isaías

Uma das ações é a medição da temperatura corporal em todas as pessoas que transitam no local


publicidade

A Ceasa implantou um sistema de prevenção à Covid-19. Uma das novidades é a adoção de termômetros infravermelhos para a verificação da temperatura à distância. O dispositivo portátil é utilizado nos pórticos de entrada e saída da instituição localizada no bairro Anchieta, zona Norte de Porto Alegre. Até o momento, ninguém foi detectado com febre.

A iniciativa de medição da temperatura é realizada em todos os caminhoneiros e pedestres que entram na Ceasa e também será realizada nos funcionários que utilizam a sede administrativa da empresa. Nos pórticos Norte e Sul e no acesso de pedestres, orientadores estão usando termômetros infravermelhos.

O equipamento tem um sistema de cores que alerta quando a temperatura corporal está elevada, acima de 37,8 graus. Quando isso acontece, o ingresso é proibido e a pessoa orientada a procurar um serviço de saúde. O produtor ou atacadista para o qual o funcionário trabalha é informado sobre o motivo que impediu o ingresso de seu colaborador.

Pelo local, circulam uma média de 20 a 30 mil pessoas e nesse montante apenas três casos foram testados positivos para Covid-19 e acabaram sendo afastados. O presidente da Ceasa/RS, Ailton dos Santos Machado, disse que as primeiras medidas adotadas pela administração quando ainda não se tinha máscaras, foi a colocação de informações somente sobre o coronavírus. "Falamos sobre higienização de mãos, distanciamento e gastamos três vezes mais com produtos como álcool em gel, sabonetes, clorofina e sabão líquido", explicou. Depois disso,a Ceasa começou a realizar a sanitização das avenidas e do prédio administrativo. A ação ocorre há cada 15 dias.

Segundo Machado, infelizmente, a aglomeração de pessoas é inerente a atividade da empresa. "Trabalhamos para reduzir ao máximo a presença de todos no interior do Pavilhão dos Produtores. Desde março ele funciona com restrições. Uma das medidas adotadas foi a redução do tempo de funcionamento para evitar a exposição prolongada de produtores, trabalhadores e clientes nesse ambiente", explicou.

Além disso, foi autorizado que os produtores comercializem os hortifrutigranjeiros na área externa pelos próximos 30 dias. A comercialização de alguns alimentos diretamente nos caminhões pode reduzir a ocupação do pavilhão. Também foi restringido o acesso de pessoas acima de 60 anos e de integrantes do grupo de risco - diabéticos, hipertensos, cardíacos, pessoas com deficiência renal crônica e deficiência respiratória crônica.

O presidente da Associação dos Atacadistas, Sérgio Di Salvo, disse que através de contatos feitos com a associação de usuários da Ceasa foi detectado uma queda de 30% nas vendas durante os últimos dois meses em decorrência da Covid-19. Mesmo diante deste quadro, segundo Salvo, todas as empresas mantiveram suas atividades tomando todas as medidas para proteção do setor. As ações passaram pela obrigatoriedade do uso de máscaras, álcool em gel, higienização frequente das mãos e liberação de funcionários do grupo de risco.

A Ceasa dispõe ainda de um ambulatório para primeiros socorros e casos de emergência. Durante a pandemia do coronavírus, a unidade de saúde da Ecco Salva também está habilitada para examinar e orientar pessoas que porventura apresentem sintomas da Covid-19 - tosse, febre, coriza, dor de garganta e dificuldade para respirar. Dependendo da gravidade do quadro, a enfermeira Márcia Castro solicita a presença de um médico para avaliar e encaminhar o paciente ao serviço público de saúde. O ambulatório fica no pavilhão B-1, no Centro de Utilidades Públicas.


Também foi reduzido o horário de fechamento do Pavilhão de Produtores em uma hora e 30 minutos, nas segundas-feiras, e em duas horas, de terça a sexta-feira. Nas segundas, abre às 5h30min e fecha às 10h. De terças a sextas, funciona das 13h às 17h. O objetivo é que as pessoas permaneçam o menor tempo possível no interior do pavilhão.