Com arborização exemplar, Porto Alegre vive ao sol e à sombra

Com arborização exemplar, Porto Alegre vive ao sol e à sombra

Dia da Árvore é comemorado hoje e terá ações na cidade

Correio do Povo

Com arborização exemplar, Porto Alegre vive ao sol e à sombra

publicidade

Embora seja provável que a maior parte das pessoas esqueça que hoje é celebrado o Dia da Árvore, a arborização é uma realidade para Porto Alegre, que, segundo dados de 2012 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), contava com cerca de 1,3 milhão de árvores e 50 metros quadrados de área verde por habitante. Somente no Parque Moinhos de Vento (Parcão), a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smans) contabiliza 117 espécies diferentes. Em toda a cidade, o serviço contratado para poda, conforme a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSurb), são manejados, em média, 1,2 mil vegetais por mês.

Em julho deste ano, a SMUrb firmou o primeiro contrato desde 2015 com uma tercerizada para prestar os serviços de manejo arbóreo. O valor total é de R$ 3,375 milhões para um ano de vínculo que pode ser renovado por até cinco anos. Com isso, a prefeitura mais que dobrou sua capacidade, já que somou oito equipes às sete turmas já existentes e também aumentou o maquinário. Apesar disso, ainda existe um passivo de aproximadamente 10 mil árvores a serem podadas em aberto.

A pasta, através de sua assessoria de comunicação, no entanto, explica que o número expressa a quantidade de protocolos em aberto, que, por sua vez, não simbolizam o trabalho feito. Isso porque diversas árvores sofrem intervenções de urgência e emergência feitas pelas equipes responsáveis sem que um novo protocolo seja aberto. Além disso, a Secretaria estima que de 20% a 30% dos protocolos que são abertos seja repetidos, como no caso de vizinhos fazerem pedidos através do número 156 para uma mesma árvore.

Mensalmente, cerca de 890 novos protocolos são feitos e aproximadamente 500 são resolvidos. Da média de 1,2 mil podas feitas pela empresa, os 700 restantes são intervenções não protocoladas. No início do novo contrato, havia, ainda 300 vegetais considerados de risco e que exigiam uma operação maior do que a de costume. Parte deles já foi removida da cidade, mas permanecem, principalmente, os de maior porte, que chegam a 18 metros de altura. Os trabalhos da empresa já foram iniciados em sete avenidas de grande circulação: Ipiranga, Farrapos, dos Estados, Borges de Medeiros, Bento Gonçalves, Loureiro da Silva e 3ª Perimetral.

Os dias ensolarados e o calor fazem com que muitos porto-alegrenses aproveitem para curtir uma das principais áreas verdes de Porto Alegre. O Parcão costuma ser o ponto para caminhadas e corridas, ou simplesmente para contemplar a paisagem e aproveitar o sol ou a sombra de uma árvore. "Paz", resumiu Ana Maris Vinciguerra, de 60 anos, que relaxava com a sobrinha-neta Luíza, de 5 meses sob uma das 1.538 árvores do Parque Moinhos de Vento. O número faz parte do Inventário da Arborização, levantamento realizado pela Smams.

O estudo feito pela secretaria apurou dados até então inéditos de forma oficial e organizada, e é tido pela pasta como uma ferramenta importante na elaboração de diretrizes e programas de manejo da arborização. Árvores e arbustos com altura acima dos dois metros foram contempladas. A mais frequente delas foi o ipê-roxo-de-sete-folíolos (Handroanthus hepataphyllus), com 186 exemplares. Um total de 72% das árvores ainda apresentaram bom estado, considerando ausência de infestação por erva-de-passarinho e insetos, problemas estruturais de raiz e tronco, necroses e cavidades.

Em comemoração ao Dia da Árvore, o Centro de Educação e Informação Ambiental (Ceia) da Smams promove evento no Parque Gabriel Knijinik. Das 14h às 17h, ocorrerão atividades como exposição, histórias para crianças, trilhas e plantio de árvores no local.

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895