Com cortejo e honras militares, corpo de general Miotto é sepultado em São Marcos

Com cortejo e honras militares, corpo de general Miotto é sepultado em São Marcos

Cavalo que pertencia ao comandante participou do trajeto até o cemitério

Sidney de Jesus

publicidade

Em cerimônia restrita a familiares, amigos mais próximos e autoridades militares e civis, o corpo do general de exército Geraldo Antonio Miotto, de 65 anos, foi sepultado na tarde desta quinta-feira no Cemitério Público Municipal, em São Marcos, sua terra natal. O ex-comandante Militar do Sul, que se encontrava na reserva, morreu na quarta-feira, vítima da Covid-19.

Miotto estava hospitalizado desde o dia 1° de dezembro. Ele faleceu por volta das 18h30min de quarta-feira, no Centro de Tratamento Intensivo do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). O Comando Militar do Sul (CMS) informou que, devido à necessidade de maiores cuidados, Miotto deu entrada no Hospital Militar de Área de Porto Alegre e foi encaminhado ao Hospital de Aeronáutica de Canoas três dias depois, para melhor suporte no acompanhamento do quadro clínico. Depois, foi transferido para o HCPA, onde faleceu.

Durante o enterro, o general Miotto recebeu homenagens e honras militares. O caixão foi coberto com a bandeira do Brasil pela guarda fúnebre do 3º Regimento da Cavalaria do Comando Militar do Sul. Entre as autoridades presentes estavam o vice-presidente da República, General Hamilton Mourão,  e o vice-governador Ranolfo Vieira Júnior. 

Mourão desembarcou no Aeroporto de Caxias do Sul às 11h40min e se deslocou de carro até São Marcos, onde chegou pouco antes das 14h, para acompanhar o velório e, na sequência, o sepultamento. O vice-presidente não conversou com a imprensa por respeito à família, apenas comentou ser um momento muito triste. Ele acompanhou a missa e o cortejo, que saiu da matriz por volta das 14h30min, em direção ao Cemitério Público Municipal de São Marcos.

Foto: Ricardo Giusti

Em uma rede social, Mourão lamentou a morte do amigo. "Lamento profundamente o falecimento do meu amigo e companheiro de várias jornadas, Gen Miotto. Grande líder, exemplar marido e carinhoso pai, deixa saudades e um legado de trabalho e profissionalismo em prol do Brasil. Meus sentimentos à família e amigos", afirmou. Mourão foi recebido pelo prefeito Evandro Kuwer e pelo vice-prefeito Marronzinho. 

"É uma grande perda, não só para o Exército, mas para todos nós. O general Miotto sempre foi um bom amigo e um grande líder. Ele deixa um legado a ser seguido", afirmou a chefe de Polícia do RS, Nadine Anflor. "Miotto foi um grande homem e um grande chefe militar, com excepcionais serviços prestados ao  Brasil. É muito triste termos que nos despedir dele. Ele foi um exemplo de homem correto e chefe de família exemplar. Merece todas as nossas homenagens. Era uma pessoa muito admirada pelos seus superiores e pares", destacou o atual comandante do Comando Militar do Sul, general de exército Valério Stumpf Trindade.

O superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Rio Grande do Sul, Luís Carlos Reischak, avaliou Miotto como "um profissional exemplar e um grande homem". "Seu espírito de liderança e sua coragem nas grandes operações jamais serão esquecidos. Todos nós aprendemos muito com ele", salientou. O comandante do V Comando Aéreo Regional, brigadeiro do ar Mauro Bellintani, lembrou dos momentos em que conviveu com o general. "Ele foi um ser humano fantástico, gentil e sempre preocupado com o bem-estar das pessoas. Além disso, sempre foi dinâmico e um grande líder", atestou. 

Durante a manhã, o corpo de Miotto foi velado na Paróquia São Marcos, no Centro de São Marcos. Com os devidos protocolos de prevenção à Covid-19 e respeitando o distanciamento social, o velório foi aberto para o público se despedir do ex- comandante Militar do Sul.  Ao redor do caixão, a guarda fúnebre do 3º Regimento de Cavalaria do Comando Militar Sul se manteve perfilada em homenagem ao general. Familiares, amigos, militares e diversas autoridades civis passaram pelo local para fazer a última homenagem.

Após o velório, centenas de pessoas, entre elas familiares, amigos e autoridades civis e militares seguiram em cortejo o deslocamento do corpo do general Miotto, feito a pé, escoltado pela guarda fúnebre do 3º Regimento de Cavalaria do Comando Militar do Sul, até o Cemitério Público Municipal. O cavalo Outubro, de Miotto, acompanhou o cortejo. O caixão foi retirado da igreja sob aplausos. O cortejo literalmente parou a cidade. À entrada do cemitério, houve salva de tiros.

Foto: Ricardo Giusti

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895