Começa vacinação contra Covid-19 no Hospital São Lucas e no Grupo Hospitalar Conceição

Começa vacinação contra Covid-19 no Hospital São Lucas e no Grupo Hospitalar Conceição

Profissionais da linha de frente do combate a Covid-19 foram os primeiros a receberem as doses

Cláudio Isaías

Profissionais da linha de frente do combate ao coronavírus foram os primeiros a serem vacinados no Hospital São Lucas

publicidade

Os hospitais São Lucas da Pucrs e Grupo Hospitalar Conceição (GHC) começaram nesta quarta-feira a vacinação contra o coronavírus. Profissionais da linha de frente do combate a Covid-19 foram os primeiros a receberem as doses.

No Centro de Pesquisa do hospital São Lucas, os técnicos de enfermagem João Carlos Marques, da Emergência, Alexsander de Lima Freitas, da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e Isis Milene Pereira dos Santos (UTI), a enfermeira Luciana Goulart de Aguiar (Unidade de Internação) e a médica Alessandra Cezimbra Dorsh não escondiam a felicidade em receber a imunização contra a Covid-19.

A solenidade foi acompanhada pelo médico Fabiano Ramos, chefe do Serviço de Infectologia do São Lucas e responsável pelos testes da Coronavac no Rio Grande do Sul, o diretor-geral do hospital Leandro Firme, e funcionários da instituição de saúde. Firme destacou que o hospital estava vivendo um momento histórico.

"É uma mistura de diversas emoções. É uma alegria começar a imunização dos nossos trabalhadores da linha de frente. Os nossos funcionários estão há dez meses na assistência dos pacientes que foram atingidos pelo coronavírus", ressaltou.

Ele elogiou o trabalho da equipe do médico Fabiano Ramos que esteve envolvido no estudo da nova vacina. Ramos disse que a vacinação dos funcionários representou um trabalho de dez meses e um esforço muito grande da equipe da pesquisa. "Se não fosse a direção do hospital São Lucas tudo isso não estaria acontecendo. Quero agradecer a todos que participaram da pesquisa", acrescentou.

O técnico em enfermagem João Carlos Marques, da UTI, disse que a expectativa pela vacina era bem grande pelos trabalhadores. "Estamos na linha de frente desde março do ano passado. Não víamos a hora da chegada da imunização. Queremos nossa liberdade de volta", explicou.

Já Freitas pediu que mesmo com a imunização a população tenha consciência e siga com os protocolos de segurança como o uso da máscara e do álcool em gel porque a doença ainda segue tirando vidas. A médica Alessandra Cezimbra explicou que a vacina é uma esperança de dias melhores, mas a população precisa entender que preciso redobrar os cuidado através da higienização das mãos, distanciamento social e uso da máscara. "Com esses cuidados, quem sabe poderemos em breve retornar à normalidade", acrescentou. 

As doses destinadas à imunização contra o coronavírus chegaram na quarta-feira ao hospital São Lucas da Pucrs. A vacina Coronavac, produzida pela chinesa Sinovac e aprovada no último domingo para uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), começou a ser ministrada às 11h30min e foi destinada ao grupo prioritário da primeira fase da imunização: profissionais da linha de frente contra a Covid-19, que atuam na internação, na UTI e Emergência. Os funcionários começaram a ser chamados nesta quarta-feira para o processo de vacinação gradativamente, evitando aglomerações.

Após a aprovação pelo Instituto Butantan, os participantes da dose placebo do estudo Coronavac receberam a vacina oficial, garantindo a imunização. O processo de chamada também será realizado com a manutenção do distanciamento social e é parte integrante dos testes que reuniram 1.335 voluntários ao longo de cinco meses.

O Hospital São Lucas foi pioneiro no Rio Grande do Sul para os testes da eficácia do imunizante junto a 11 centros pelo país, fundamentais para a aprovação e início da vacinação em todo o território nacional. A vacina, totalmente segura, comprovou ser eficiente em 100% dos casos graves que podem levar à internação ou morte.

Veja Também

GHC começa a vacinação dos profissionais contra a Covid-19

Seis profissionais de áreas de atendimento Covid-19 do Grupo Hospitalar Conceição (GHC) foram os primeiros a receber a vacina. Com a presença do secretário municipal de Saúde, Mauro Sparta, teve início a vacinação contra a Covid-19.

Os profissionais imunizados foram Camila Lando, enfermeira da Emergência; Apoena Dias, enfermeira do posto 4º B2, área de internação Covid-19; Taiani Vargas, médica intensivista da UTI; Igor Gomes Souza, médico da Emergência; Carlos Henrique Borba Antunes, auxiliar administrativo da Emergência; e Francine Azevedo, técnica de enfermagem da Emergência.

“É um incentivo fazer essa vacina para continuarmos o nosso trabalho. Teremos mais segurança no momento do atendimento ao paciente e para seguirmos em frente”, ressaltou Francine Azevedo. Ao receberem as doses, todos foram aplaudidos pelos colegas.

O diretor-presidente do GHC, Cláudio Oliveira, saudou a chegada da vacina na instituição de saúde, que é referência no atendimento dos casos de Covid-19 no Rio Grande do Sul. “Estamos emocionados em poder dar início à vacinação dos nossos profissionais que são tão importantes para o cuidado da população”, disse o dirigente.

O secretário Mauro Sparta afirmou que com a imunização espera um futuro promissor. Além do Hospital Conceição, teve início também a vacinação dos profissionais da UPA Moacyr Scliar. O primeiro lote das doses adquiridas pelo Ministério da Saúde, dentro do Plano Nacional de Imunizações, da vacina Coronavac do Laboratório Sinovac, atenderá os profissionais dos setores que atendem pacientes Covid-19: Emergência do Hospital Conceição, internação Covid do Hospital Conceição, UTI Covid do Hospital Conceição, áreas Covid do Hospital Criança Conceição e UPA Moacyr Scliar. A aplicação das vacinas está sendo feita pela equipe da Saúde do Trabalhador.

Os profissionais de saúde destes setores citados que participam de projetos de pesquisa com vacinas devem procurar o gestor da área para estabelecer contato com o pesquisador responsável, que orientará sobre a realização ou não da imunização para Covid-19.

Cláudio Oliveira afirmou que é importante ressaltar que a pandemia ainda não acabou, por isso, os protocolos estabelecidos devem ser seguidos, assim como as medidas preconizadas, como o uso de máscara, lavagem das mãos, uso de álcool gel e evitar as aglomerações.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895