Consumidores de Porto Alegre enfrentam longa espera nas filas das lojas em dia de Black Friday

Consumidores de Porto Alegre enfrentam longa espera nas filas das lojas em dia de Black Friday

Clientes chegaram cedo aos estabelecimentos, mas tiveram que obedecer aos protocolos municipais de enfrentamento ao coronavírus

Gabriel Guedes

Lojas abriram a partir das 9h da manhã nesta sexta-feira

publicidade

A Black Friday costuma chamar a atenção de consumidores pelos descontos agressivos em alguns produtos. Para não perder oportunidades, alguns chegam a madrugar em portas de lojas, esperando a abertura cedo dos estabelecimentos, geralmente entre 6 e 7 horas. Mas quem fez isso nesta sexta-feira, amargou uma longa espera. Devido à pandemia de Covid-19, as lojas só puderam abrir a partir das 9h. Como resultado, as filas aumentaram, como foi o caso da Loja Americanas, situada na Rua dos Andradas, no Centro de Porto Alegre, em que chegava dobrar a esquina com a Avenida Borges de Medeiros.

Veja Também

Mas as filas seguiram em algumas lojas ao longo do dia, devido à redução na quantidade de pessoas que podem frequentar simultaneamente as lojas. Entretanto, a movimentação não era uniforme. Havia lojas com poucos clientes em muitos momentos desta sexta-feira. Ainda assim, o setor espera que as vendas sejam as mais expressivas do ano.

De acordo com o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, eletroeletrônicos, televisores, roupas e até alguns presentes de Natal seriam os itens mais procurados pelos consumidores. "Têm promoções atrativas", ressaltou. Mas houve quem fosse atrás até mesmo de produtos básicos. "Não havia promoções assim na Venezuela. Acho que vamos conseguir encontrar produtos de higiene em promoção", conta a imigrante venezuelana Adriana Peres, 31 anos, que estava mais dois amigos na fila da Americanas. Eles chegaram ao local pelas 6h30 e estavam em quarto lugar na espera.

Foto: Alina Souza

Em outra parte da fila, a profissional de serviços gerais, Olaine Fontoura, 54, reclamou da demora. "Pensei que abriria às 7 horas. Mas está demorando. Já estou há umas duas horas aqui", contou por volta das 8h15min da manhã. De acordo com Kruse, se fosse em uma outra ocasião, as lojas estariam abertas até de madrugada, algumas virariam 24 horas em funcionamento. No entanto, devido à pandemia e a necessidade de cuidados redobrados para a prevenção contra o coronavírus, as lojas da Capital não puderam estender o horário de funcionamento, ficando restritas a abrirem de acordo com os horários previstos no último decreto publicado pela Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Neste caso, as lojas de ruas, galerias e centros comerciais estiveram funcionando das 9h às 19h e as de shopping centers das 12 horas até as 22 horas.

Para o presidente do Sindilojas, "a Black Friday está caindo no gosto dos consumidores. Foi uma data trazida dos EUA, mas já está virando tradição entre consumidores", acredita. "Esperamos uma venda muito boa. A internet está vendendo bem. As lojas físicas também. O pessoal vai estender estas promoções até o final de semana", avalia Kruse. Desta maneira, ele vê na data a possibilidade de ter sido o melhor dia para o comércio em 2020. "Esperando vendas maior que o ano passado. Vai ser a única data com grandes volumes de vendas. Nem no Natal será assim", prevê. A CDL Porto Alegre foi procurada, mas prefere emitir uma avaliação após a Black Friday. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895