Contratações para enfrentamento do pandemia no RS já demandaram R$ 1,6 bilhão

Contratações para enfrentamento do pandemia no RS já demandaram R$ 1,6 bilhão

Já foram contabilizadas 10.164 contratos, de pelo menos 533 órgãos públicos do Estado,

Jessica Hübler

Maiores gastos previstos foram da Central de Licitações do Estado

publicidade

As contratações relacionadas ao enfrentamento à pandemia do novo coronavírus no Rio Grande do Sul já demandaram um valor previsto de R$ 1,6 bilhões. Conforme o sistema LicitaCon Cidadão do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS), que disponibiliza os números das ações emergenciais dos órgãos públicos relacionadas à Covid-19, já foram contabilizadas 10.164 contratos, de pelo menos 533 órgãos públicos do Estado, sendo que a maioria delas está relacionada a serviços de desinfecção de ambientes, serviços de telemedicina e aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) como álcool em gel, máscaras de proteção facial de acrílico, máscaras de tecido, luvas e máscaras descartáveis.

Os dados podem ser consultados no sistema LicitaCon Cidadão, disponível no site do TCE-RS. Para conferir as licitações cadastradas, basta clicar na opção “Contratações COVID-19”. A partir daí, é possível consultar os dados de cada licitação, com informações detalhadas relativas ao objeto, preços e empresas contratadas, bem como a respectiva documentação e os contratos vinculados. De acordo com o sistema, os maiores gastos previstos foram da Central de Licitações do Estado (Celic), que chega a R$ 407.628.914,03.

As modalidades de contratação, na maioria dos casos, foram com processo de pregão eletrônico. O custo mais alto previsto foi o de aquisição de equipamentos de informática no valor de R$ 244.999.800,00 e, em segundo lugar, a aquisição de produtos não perecíveis no valor de R$ 48.196.903,30. O segundo órgão público do RS com maior gasto em contratações emergenciais para o enfrentamento do novo coronavírus foi o Consórcio Público do Extremo Sul, com gastos previstos que chegam a R$ 361.270.000,00.

Os valores foram direcionados principalmente a registro de preços de material de prevenção à Covid-19, em duas licitações na modalidade pregão eletrônico: uma no valor de R$ 339.110.000,00 e a outra de R$ 22.160.000,00. O terceiro maior gasto conforme o LicitCon do TCE-RS é da Prefeitura de Porto Alegre, com R$ 217.906.300,08. A licitação da Prefeitura da Capital com maior valor com um registro de preços para a aquisição de cestas básicas para o enfrentamento do novo coronavírus, que chegou a R$ 125.470.800,00. O órgão também teve valor homologado para registro de preços de cestas básicas e kits de higiene, limpeza e alimentar proteico para enfrentamento da pandemia no valor de R$ 24.090.000,00.

 

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895