Coordenador do estudo sobre vacina na PUCRS destaca colaboração entre cientistas
capa

Coordenador do estudo sobre vacina na PUCRS destaca colaboração entre cientistas

Infectologista comemorou velocidade do estudo para o combate à Covid-19, mas alerta que é necessário seguir trâmites da pesquisa

Por
Rádio Guaíba

PUCRS participa de testes de vacina chinesa contra o novo coronavírus


publicidade

Responsável por coordenador os testes da vacina contra a Covid-19 em Porto Alegre, o médico infectologista Fabiano Ramos exaltou, nesta quinta-feira, a cooperação entre os estudos realizados pelo mundo em torno de uma dose eficaz para combater a pandemia. “Não se vê uma competição entre os cientistas e, sim, uma busca de esforços para ajudar o mundo todo”, destacou, em entrevista à Rádio Guaíba.

Fabiano Ramos destacou que uma videoconferência nesta quinta reúne cientistas do Instituto Butantan, que desenvolvem testes no Brasil da vacina chinesa CoronaVac, e pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo, que fazem experimentos com a vacina produzida em Oxford, no Reino Unido. “Os pesquisadores estão discutindo os estudos científicos das duas vacinas”, afirmou. “Nunca houve um estudo tão rápido. Por isso, temos que ter bastante cuidado, seguir os trâmites da pesquisa.”

Ramos também se mostrou esperançoso em coordenar os estudos em Porto Alegre: “Temos uma expectativa muito grande com relação aos estudos porque é uma esperança para todo o mundo. Para nós, também é motivo de orgulho e satisfação fazer parte de um projeto com o Butantan. É uma parceria muito importante, que nos ajuda a desenvolver essa vacina que a humanidade toda aguarda ansiosamente”, ressaltou.

Testes no RS devem começar com profissionais da saúde

O Hospital São Lucas da PUC, em Porto Alegre, vai ser um dos 12 centros de testes da vacina chinesa contra o coronavírus. As unidades serão responsáveis pelos testes da fase 3, em humanos, da dose desenvolvida pela farmacêutica Sinovac Biotech, considerada uma das mais promissoras em todo o mundo. Os testes serão realizados em 9 mil voluntários em centros de pesquisas de seis estados do país.


Nesta semana, serão definidos os números e critérios para o recrutamento de voluntários gaúchos. Assim como em São Paulo, os testes devem começar pelos profissionais da saúde, que compõem a linha de frente do enfrentamento da pandemia.