Diretora da vigilância em saúde do Amazonas morre em decorrência da Covid-19

Diretora da vigilância em saúde do Amazonas morre em decorrência da Covid-19

Rosemary Costa Pinto testou positivo para o coronavírus em 5 de janeiro

AE e Correio do Povo

Rosemary Costa Pinto testou positivo para o coronavírus em 5 de janeiro

publicidade

A diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), Rosemary Costa Pinto, de 61 anos, morreu nesta sexta-feira, 22, por complicações decorrentes da Covid-19. Ela deixa o marido, três filhos, uma neta e o pai. De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado, a profissional testou positivo para o coronavírus em 5 de janeiro. Ela iniciou o tratamento em casa, mas no dia 11 a situação piorou e ela precisou ser internada. Rose, como era conhecida, morreu no hospital.

A farmacêutica bioquímica atuava no monitoramento da pandemia no Amazonas e ajudava a estabelecer medidas para conter o avanço do coronavírus. "Ela era uma fortaleza e um farol que guiava as ações da FVS na guerra contra o novo coronavírus no Amazonas", diz a nota emitida pela Secretaria.

Rose atuou como gerente de epidemiologia e como diretora de vigilância em saúde da Secretaria de Saúde do Amazonas. Também foi assessora técnica de vigilância em saúde da FVS-AM, instituição que ajudou a fundar.

No fim do ano passado, em 11 de dezembro, ela recebeu a medalha da Ordem do Mérito do Governo do Amazonas, em reconhecimento ao trabalho desenvolvido no combate à pandemia. Em outubro, havia recebido o Diploma de Honra ao Mérito do Tribunal de Contas do Amazonas pelos serviços prestados no mesmo período.

Nessa sexta-feira, o governo do Amazonas decretou luto oficial de três dias em todo o Estado. "O decreto considera a relevância social e histórica da profissional para o povo do Estado do Amazonas, com atuação sempre pautada pela busca da melhoria da qualidade de vida da população", afirma nota divulgada pela FVS-AM.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895