Edital sobre cedência de antiga sede do INSS a Porto Alegre ainda não saiu

Edital sobre cedência de antiga sede do INSS a Porto Alegre ainda não saiu

Prevista para o primeiro semestre, publicação segue sem data “por se tratar de um processo complexo" segundo órgão

Correio do Povo

Prédio do INSS fica na Travessa Cinco Paus, no Centro

publicidade

Ao contrário do previsto, ainda não saiu o edital de cedência da antiga sede do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para o programa de revitalização do Centro Histórico de Porto Alegre. Entre as iniciativas do projeto, uma das bandeiras da gestão do prefeito Sebastião Melo, é dar outra cara à Travessa Cinco Paus, localizado entre o terminal de ônibus da rua Uruguai e a Estação Mercado do Trensurb. A administração municipal espera pelo governo federal, que não lançou o edital no primeiro semestre como era o esperado.

Em reunião com a presidência do INSS e o Ministério do Trabalho e Previdência, em fevereiro, Melo encaminhou pedido de avaliação sobre a venda ou permuta do imóvel de 25 andares e do terreno ao lado. Como respostas, ouviu um aceno positivo. Mas, por enquanto, o edital não foi publicado. Segundo a assessoria do INSS, não há previsão “por se tratar de um processo complexo e com inúmeras etapas”. O órgão garante que pretende divulgar amplamente assim que houver “dados concretos e seguros acerca do tema”. Em reportagens recentes sobre o assunto, secretarias municipais da Capital chegaram a se pronunciar mas, neste momento, a pauta é de responsabilidade do governo federal.

Desde o início do mês passado, a revitalização da Travessa Mário Cinco Paus foi adotada pela rede de lojas de conveniências Alegrow, que instalou uma unidade no local. Além da instalação de novos bancos, a região do entorno ganhou iluminação cênica, reparos no calçamento, inclusão de floreiras, jardinagem e paisagismo e pinturas. A parceria com a prefeitura prevê que os adotantes têm a permissão de uso por dez anos para requalificar os espaços do local, com cerca de 60 metros. O investimento sugerido é de aproximadamente R$ 500 mil, sendo R$ 400 mil para as primeiras intervenções e R$ 100 mil para manutenção no prazo da adoção. Como contrapartida, a empresa poderá explorar espaços para divulgar sua marca.

No caso da antiga sede do INSS, a ideia é parecida. Com a permuta, a empresa vencedora do futuro edital deverá investir no local dentro das novas regras de revitalização aprovadas no Plano de Reabilitação do Centro Histórico, desenvolvido pelo Executivo da Capital e aprovado no ano passado pela Câmara Municipal. A intenção do plano é dobrar o número de moradores do bairro de 45 mil para 90 mil pessoas.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895