Encontrado corpo de um dos bombeiros desaparecidos no incêndio da SSP

Encontrado corpo de um dos bombeiros desaparecidos no incêndio da SSP

Depois de uma semana, Deroci de Almeida da Costa é primeira vítima fatal confirmada

Correio do Povo

Governador Eduardo Leite concedeu entrevista coletiva para anunciar localização de corpo de bombeiro

publicidade

As equipes de resgate encontraram, na noite desta quarta-feira, o corpo do 1º tenente Deroci de Almeida da Costa, 46 anos, que estava desaparecido após o incêndio no prédio da Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP). As buscas seguem pelo 2º sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós, 51 anos, que permanece desaparecido.

A informação da localização foi confirmada na noite desta quarta-feira, em coletiva com o governador Eduardo Leite e o vice Ranolfo Viera, em frente à sede da SSP. “Quero expressar à família do tenente Almeida o mais profundo pesar, ao corpo de bombeiros e seus colegas de trabalho, meus sentimentos”, salientou Leite. "Ao mesmo tempo, gostaria de expressar o nosso orgulho. Cumpriu sua missão, oferecendo a própria vida. A missão dele naquele momento era de garantir que se retirasse toda a guarnição e que não ficasse ninguém para trás. Ele cumpriu isso com a própria vida e infelizmente e lamentavelmente perdemos ele no desabamento”, afirmou o governador. Conforme a perícia preliminar, ele estava na parte central e acabou soterrado pelo material dos oito andares acima.

"Acreditamos que ainda nessa noite vamos localizar o sargento Munhoz. Nós trabalhamos muito próximos e é bem provável que ele esteja perto do tenente Almeida. Nós não vamos parar. Só iremos embora daqui, quando encontrarmos o Munhós", destacou o tenente-coronel Eduardo Estevão, responsável pela operação.

Uma semana depois do sinistro, a área de busca foi restringida a um ponto de passagem próximo ao núcleo principal da construção. Um total de 117 pessoas, entre bombeiros militares e técnicos, foram mobilizadas ao longo da quarta-feira. Entre elas, havia oito células das Forças de Resposta Rápida (FR2), com 43 militares, atuando no trabalho de Busca e Resgate em Estruturas Colapsadas (BREC), mais uma célula das Equipes de Busca e Salvamento, com sete militares.

Os dois bombeiros que desapareceram no incêndio foram ao local para ajudar os colegas no combate às chamas. Os servidores que estavam no prédio no momento em que as chamas se alastraram conseguiram sair. Desde a quinta-feira, após o incêndio ser totalmente controlado, as buscas pelos dois bombeiros ocorriam de maneira ininterrupta, depois de as equipes serem divididas por turnos.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895