“Estão observando a portaria”, diz Queiroga sobre cruzeiros suspensos

“Estão observando a portaria”, diz Queiroga sobre cruzeiros suspensos

O ministro ainda frisou que a situação está sendo tratada sob o comando da Casa Civil

R7

Médico afirmou que o tema está sendo tratado sob o comando da Casa Civil

publicidade

Após as companhias decidirem suspender as viagens de cruzeiros até 21 de janeiro, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, avaliou que a decisão observa o que define a portaria interministerial que possibilitou o retorno das viagens em novembro de 2021. O médico afirmou, nesta segunda-feira (3), que o tema está sendo tratado sob o comando da Casa Civil. "Se companhias de cruzeiro estão fazendo isso, naturalmente estão observando o que está escrito na portaria e a segurança de quem contrata esses passeios dos cruzeiros", disse Queiroga a jornalistas, na porta do Ministério da Saúde. 

Apesar do assunto estar sendo discutido pela pasta, junto aos ministérios da Justiça e da Infraestrutura e da Casa Civil, Queiroga ponderou que situações de casos de Covid-19 e surtos nas embarcações já estavam previstas pelo regramento que permitiu o retorno das viagens. "Temos uma portaria que oferecia segurança para a realização dos cruzeiros e previa situações como essa, de ter casos de Covid. Ali já tinha toda a normativa."

Ainda assim, acatando uma recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (CLIA Brasil) informou, nesta segunda-feira (3) que as companhias suspenderam voluntariamente os embarques nos portos do Brasil até 21 de janeiro.

A paralisação, segundo a entidade, foi dada "por incertezas na interpretação e aplicação dos protocolos operacionais previamente aprovados" com relação à covid-19, diferente do que defendeu Queiroga. Os navios que já iniciaram as viagens, por outro lado, vão finalizar o itinerário. O objetivo da pausa é justamente buscar um alinhamento de regras junto à Anvisa, os ministérios responsáveis e as cidades e estados por onde passam os navios. 

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895