Fórum Social Mundial 2021 é lançado em Porto Alegre

Fórum Social Mundial 2021 é lançado em Porto Alegre

Evento, que ocorre entre 25 e 29 de janeiro, irá discutir o mundo possível pós-pandemia

Cláudio Isaías

Lançamento ocorreu nesta terça-feira na Assembleia Legislativa do RS

publicidade

Com a discussão de temas como população idosa, diversidade, pessoas com deficiência, saúde, educação e participação comunitária, o Fórum Social Mundial (FSM) 2021 foi lançado nesta terça-feira na Assembleia Legislativa. A atividade que será totalmente on-line em função da pandemia do coronavírus será realizada de 25 a 29 de janeiro, em Porto Alegre. O lançamento foi realizado no Solar dos Câmara, no complexo da Assembleia Legislativa.

O tema central do encontro é “Um Outro Mundo é Possível Pós-Covid-19!”. Também será realizado de forma paralela, o 6º Fórum Social Mundial da População Idosa, o 5º Fórum Social Mundial das Pessoas com Deficiência e o 3º Fórum Social Mundial das Diversidades. O Fórum Social Mundial é um contraponto ao Fórum Econômico Mundial, que é realizado em Davos, na Suíça, no mês de janeiro.

O presidente da Assembleia Legislativa, Ernani Polo, participou do lançamento ao lado do secretário Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Antônio Fernandes Costa, do presidente do FSM, Lélio Falcão, que é ex-presidente do Conselho do Idoso de Porto Alegre, e do secretário estadual de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Mauro Hauschild.

Costa destacou a necessidade de ampliação das políticas para a pessoa idosa no Rio Grande do Sul, onde a população com mais de 60 anos já é maior do que a da faixa entre 0 e 14 anos. O secretário executivo pediu apoio para o Pacto Nacional da Pessoa Idosa, que está sendo totalmente financiado pelo governo federal e já destinou R$ 11 milhões para 129 instituições gaúchas de longa permanência para idosos. Um dos objetivos do pacto é incentivar a criação de conselhos municipais e do fundo do idoso. "Dos 497 municípios gaúchos, somente 190 têm conselhos do idoso atualmente. A nossa ideia é ampliar os conselhos pelas cidades gaúchas", ressaltou. O Pacto já foi implantado em dez estados brasileiros onde o governo federal percebeu através da realização de uma pesquisa a necessidade de fortalecer as políticas públicas nos municípios. A segunda etapa do trabalho, será em em 16 estados e mais o Distrito Federal.

Segundo Lélio Falcão, outros temas tratados na reunião foram o apoio à candidatura de Porto Alegre como sede da Terceira Assembleia Mundial sobre o Envelhecimento. O evento da Organização das Nações Unidas (ONU), que ocorre a cada 20 anos, será realizado novamente em 2022 em algum país da América Latina ou Caribe. "A nossa ideia é que o evento seja feito no Brasil, mais precisamente em Porto Alegre, em função de que a nossa a cidade com mais percentual de idosos e de melhor qualidade de vida", acrescentou. Segundo Falcão, Porto Alegre possui cerca de 305 mil eleitores idosos.  

O deputado Ernani Polo disse que a campanha Valores que Ficam, da Assembleia Legislativa, incentiva a destinação de recursos do Imposto de Renda para os fundos da criança e do adolescente e da pessoa idosa. “A população idosa é cada vez mais representativa e requer atenção e políticas públicas específicas. Defendemos ações em conjunto entre todas as esferas de governo e a sociedade, como desenvolvemos com a campanha Valores que Ficam”, acrescentou Polo.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895