Faixa etária para vacina da Covid-19 cai para 35 anos aos portadores de deficiência em Porto Alegre

Faixa etária para vacina da Covid-19 cai para 35 anos aos portadores de deficiência em Porto Alegre

Baixa procura nos nove postos de imunização foi registrada na manhã deste sábado

Correio do Povo

Vacinação contra Covid-19 teve baixa procura neste sábado em Porto Alegre

publicidade

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) anunciou que a faixa etária de vacinação contra Covid-19 para portadores de deficiência permanente foi ampliada para os 35 anos devido ao fraco movimento verificado nos pontos de vacinação contra a Covid-19 na manhã deste sábado em Porto Alegre. “Nós baixamos porque a procura estava em baixa para a primeira dose. Hoje decidimos ampliar para 35 ou mais”, enfatizou o diretor da Vigilância em Saúde da SMS, Fernando Ritter, à reportagem do Correio do Povo. Ele lembrou que o mesmo critério valerá para a próxima semana.

A reportagem do Correio do Povo percorreu algumas das nove unidades de saúde para dose 1 e das 17 unidades de saúde para dose 2 na manhã deste sábado, sendo constatada a ausência de filas ou poucas pessoas nos locais. Até mesmo o atendimento no drive-thru da PUCRS, para primeira e segunda doses, estava muito tranquilo e quase sem veículos. A vacina oferecida é a Astrazeneca.

Neste domingo, a unidade móvel da SMS estará na estrada Afonso Lourenço Mariante, 2189, junto ao Mercado Disul, no bairro Lomba do Pinheiro, das 9h às 13h.

“Na terça-feira começamos a vacinação dos professores a partir da rede municipal. Na quarta-feira vacinamos professores e funcionários das creches e escolas infantis comunitárias”, acrescentou. Um total de 12 unidades de saúde vai aplicar a vacina da Pfizer, entre 8h e 17h.

Com a futura chegada de um novo lote de imunizantes, o diretor previu que serão vacinados também os professores das escolas estaduais e da rede privada de ensino, sendo que esta última “começando pelas escolas infantis”.

Fernando Ritter lembrou que permanecem sendo aplicadas doses também aos doentes crônicos acima de 18 anos e aos idosos a partir de 60 anos, além de profissionais da saúde e de apoio no setor que ainda não foram imunizados. Sobre a imunização dos doentes crônicos, Fernando Ritter calculou que a mesma já está em torno de 90% da meta.

A lista de comorbidades que habilitam para a vacinação, contemplando mais doenças cardiológicas e neurológicas crônicas específicas e hemoglobinopatias graves, somam 30 grupos nesta condição.  Neste público estão ainda incluídas pessoas com deficiência cadastradas no plano Benefício de Prestação Continuada a partir de 18 anos, pessoas com HIV e Síndrome de Down a partir de 18 anos.

A vacinação com primeira e segunda doses da Pfizer será retomada na terça-feira. Por isso, gestantes e puérperas com comorbidade e sem comorbidade, mas com indicação médica, devem aguardar até a data, bem como pessoas que precisam fazer a segunda dose do imunizante.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895