Governo aguarda estudos das rodovias estaduais para firmar parceria público-privada
capa

Governo aguarda estudos das rodovias estaduais para firmar parceria público-privada

Previsão é que dentro de 60 dias pelo menos um dos levantamentos da ERS 020, 324 ou 287 esteja concluído

Por
Franceli Stefani

Governo contratou empresa para realizar estudo sobre rodovias estaduais

publicidade

O governo do Estado aguarda até o início de março a entrega das primeiras modelagens dos estudos das rodovias estaduais feitas pela empresa contratada, a KPMG. De acordo com o secretário de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), Carlos Antônio Búrigo, estão em análise a ERS 020 (que liga Porto Alegre aos Campos de Cima da Serra), ERS 324 (entre Nova Prata a Passo Fundo) e ERS 287 (Porto Alegre a São Borja). “Estamos trabalhando desde janeiro do ano passado para fazer as modelagens necessárias nessas três estradas. A empresa faz o trabalho de campo. É algo completo e que necessita de diversos estudos. Trabalhamos para que, dentro de 60 dias, pelo menos um deles esteja concluído”, afirma.

Segundo o titular da pasta, antes de iniciar o projeto foi instalado o grupo que trabalha na Parceria Público-Privada (PPP). “Nós criamos os conselhos deliberativo, consultivo e técnico. As políticas públicas, sobre qualquer tipo de parceria, passam sempre por essa equipe e, depois que for estabelecido, o esquema vai para modelagem”, explica. A KPMG, como informa Búrigo, entregará toda a documentação para a posterior avaliação. “Em cima disso, faremos avaliações e daremos as diretrizes de como será feita a condução”, destaca.

A modelagem vai determinar a maneira jurídica de como o trabalho será feito. “Desde as manutenções, ampliações, obras necessárias e qual é a melhor maneira que devemos trabalhar a parceria com a iniciativa privada”, acrescenta. Conforme Búrigo, o governador José Ivo Sartori fala desde o início de sua gestão que o foco é atuar naquilo que é responsabilidade do Estado, como segurança, saúde e educação. “Para a infraestrutura nós entendemos que precisamos de parcerias para que o governo consiga fazer a sua parte”, especifica o secretário.

Estradas melhores

Búrigo diz que o Rio Grande do Sul terá melhores estradas quando a concessão for efetivada. “Isso proporcionará melhoras no fluxo dos veículos e transporte nas produções, além dos principais acessos ou estradas vicinais que podem ter alto número de veículos e transporte de carga com rapidez e segurança”, indica. O secretário salienta ainda que o modelo que está sendo pensado para o RS vai ao encontro de grandes concessões federais e também de estradas de outras regiões do País.

“Nós buscamos exemplos que deram certo, e estamos atuando dentro da legislação federal e estadual para que possamos dar sustentabilidade para essas empresas. Já que elas investirão capital e precisa haver um retorno”, frisa. Quanto às demais rodovias, o Búrigo comenta que tudo depende do estudo. “Não temos nenhum preconceito contra esse modelo. Ao contrário, precisamos apenas avaliar se há viabilidade econômica, financeira e técnica.”