Governo do RS aguarda confirmação da data do envio de vacinas contra Covid-19

Governo do RS aguarda confirmação da data do envio de vacinas contra Covid-19

Ministério da Saúde deve enviar lote com 188,8 mil doses da Coronavac para zerar segundas doses atrasadas no Estado

Correio do Povo

Novo lote de vacinas deve chegar nos próximos dias no RS

publicidade

O governo do Rio Grande do Sul aguarda a confirmação da data do envio, por parte do Ministério da Saúde, de mais vacinas contra a Covid-19. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), a remessa de 188.800 doses da Coronavac deve servir para imunizar todas as pessoas que aguardam a segunda aplicação do imunizante no Estado. "Essa notícia representa um alívio muito grande. É um direito do cidadão completar o seu esquema vacinal e precisamos acelerar a imunização para vencermos essa pandemia", afirmou a secretária da Saúde, Arita Bergmann. A expectativa é de que o envio deve ocorrer nos próximos dias. 

Segundo a SES, no mesmo documento em que anuncia as 188.800 doses da Coronavac, o Ministério da Saúde informou que irá enviar, provavelmente no mesmo dia, mais 269.100 doses da Astrazeneca e 39.780 doses da Pfizer.  

Cálculos atualizados pela Secretaria da Saúde mostram que 179.330 pessoas já poderiam ter tomado a segunda dose da Coronavac no Estado. "A pedido do Ministério, informamos esse número na sexta-feira e, no dia seguinte, recebemos o informe de que será enviado quantitativo suficiente para que todas as pessoas que tomaram Coronavac no Estado recebam a D2”, disse Tani Ranieri, chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs). 

Conforme a SES, em relação à segunda dose da Astrazeneca, foram distribuídas doses suficientes para completar o esquema vacinal de todos os imunizados com a primeira dose desse fabricante que estariam em tempo de tomar a segunda dose. O governo ainda diz que há estoque no RS para segunda dose de todos os que precisam completar o esquema vacinal até, pelo menos, a metade de julho.

Câmaras de conservação de vacinas  

De acordo com o governo estadual, as 310 câmaras de conservação de vacinas compradas pelo Piratini para municípios com menos de 100 mil habitantes começaram a chegar aos destinos mais distantes da capital. As prefeituras de Piratini, Júlio de Castilhos, Selbach, Ibirubá, Paverama e Alegrete, por exemplo, já receberam os equipamentos adquiridos com recursos do Ministério da Saúde. A entrega para os 194 municípios contemplados começou na última terça-feira. 

Segundo o Piratini, o objetivo da aquisição e distribuição de câmaras frias para conservação de vacinas e medicamentos é aprimorar a Rede de Frio do Plano Nacional de Imunizações (PNI) com a substituição das geladeiras domésticas por câmaras de conservação de imunobiológicos.

Os critérios para a escolha dos municípios foram, além de terem menos de 100 mil habitantes, terem sala de vacinas e sistema de informação oficial do Ministério da Saúde implantado para registro de vacinados e movimentação de imunobiológicos, além de não estar equipado com câmara refrigerada. 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895