Governo retoma fornecimento de asfalto às estradas gaúchas
capa

Governo retoma fornecimento de asfalto às estradas gaúchas

Secretário Juvir Costella afirma que esforço terá como objetivo atingir a maioria das regiões com problemas

Por
Franceli Stefani

Juvir Costella afirma que esforço para reparar estradas precisa ser no maior número de rodovias


publicidade

O governo do Estado retomou o fornecimento de material asfáltico para obras em rodovias gaúchas. Conforme o secretário de Logística e Transportes, Juvir Costella, serão 400 toneladas do produto encaminhadas ao Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), através das superintendências regionais. O serviço foi reiniciado no fim da tarde da quinta-feira e intensificado nesta sexta, para que a operação tapa-buracos seja vista nas ruas a partir de segunda. Até o início da tarde, já haviam recebido o material as unidades de Esteio, Santiago, São Francisco, Palmeiras das Missões, Cruz Alta, Bento Gonçalves, Passo Fundo e Alegrete.

Costella ressalta que o essencial é a retomada das condições das estradas gaúchas. “O tapa-buraco é essencial. Temos muitos pontos críticos, posso citar a ERS 168, no Alegrete, Bossoroca, Santiago e São Luiz Gonzaga. É um absurdo o estado em que ela está, além de tantas outras, porque o Rio Grande do Sul ficou cerca de cinco meses sem receber o material”, explica. As entregas voltaram a ser feitas porque o governo quitou a maior parte dos valores devidos à empresa Stratura, referentes a 2018. Até o momento, foram pagos R$ 11,5 milhões dos R$ 13 milhões pendentes com a subsidiária da Petrobras.

Conforme o secretário, as dificuldades de honrar com os compromissos financeiros não são dessa gestão: “As estradas não ficaram danificadas agora, porém houve as intempéries do tempo, começaram as colheitas de grãos, como milho, arroz e, agora, a soja, o que traz um tráfego intenso de veículos pesados e os danos no asfalto”, pondera. De acordo com ele, o governo foca em retomar os serviços de qualidades aos cidadãos. “É necessário tapar buraco no Estado. Melhora a qualidade, trafegabilidade e escoamento da produção, sem falar na segurança para trafegar, ao usuário das vias.” Todos os trabalhos serão fiscalizados pelo Daer.


Foco é atingir a gama de rodovias

Costella faz referência a estradas em condições delicadas, onde devido ao uso, o asfalto ficou danificado e buracos surgiram nas pistas. Segundo ele, dar segurança a quem trafega é essencial. Além da ERS 168, fala da ERS 591, na região de Ametista do Sul e Rodeio Bonito, da ERS 122, em Farroupilha, Caxias do Sul e Bento Gonçalves. Há também as estradas estaduais no Vale do Taquari, Serra, Fronteira e Litoral: “Todas as regiões têm suas deficiências. A estrada que circunda é a principal para o povo de cada região. Não há como se priorizar uma. Aquelas superintendências que têm material já começam a trabalhar”, explica.