"Indignação e revolta”, diz Damares sobre morte de João Alberto em Porto Alegre

"Indignação e revolta”, diz Damares sobre morte de João Alberto em Porto Alegre

Homem negro, de 40 anos, morreu após ser agredido por dois funcionários do supermercado Carrefour na noite de quinta-feira

R7

Damares pediu fim da violência e da barbárie

publicidade

A ministra Damares Alves, da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, afirmou nesta sexta-feira que as imagens que mostram dois seguranças do supermercado Carrefour espancando um homem negro em Porto Alegre causam “indignação e revolta”. “A vida de mais um brasileiro foi brutalmente ceifada no estacionamento de um supermercado, no Rio Grande do Sul. As imagens são chocantes e nos causaram indignação e revolta”, afirmou Damares. “Chega de violência, chega de tanta barbárie.”

João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado e morto por dois homens brancos em uma unidade do Carrefour, no bairro Passo d’Areia, na noite desta quinta-feira. Informações preliminares apontam que os agressores foram um segurança e um PM temporário.

Veja Também

A Polícia de Porto Alegre investiga o crime e já pediu a prisão do segurança envolvido no episódio. O crime ocorreu poucas horas antes desta sexta-feira, data em que se comemora o Dia da Consciência Negra. Damares se solidarizou com a família da vítima e disse que o ministério está à disposição para prestar toda assistência necessária. “Sintam-se abraçados por nós”.

Em nota, o Grupo Carrefour considerou a morte "brutal" e disse que "adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos". Afirmou também que vai romper o contrato com a empresa responsável pelos seguranças e que o funcionário que estava no comando da loja durante o crime "será desligado". O grupo disse ainda que a loja será fechada em respeito à vítima e que dará o "suporte necessário" à família da vítima.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895