Lide Talks debate o papel das PPPs no desenvolvimento da infraestrutura no RS

Lide Talks debate o papel das PPPs no desenvolvimento da infraestrutura no RS

A 17ª edição do evento contou com a presença do secretário Extraordinário de Parcerias do Estado, Bruno Vanuzzi

Christian Bueller

Evento foi transmitido pelo Youtube na última quinta-feira

publicidade

Com o foco no papel das Parcerias Público-Privadas como ferramenta para o desenvolvimento na infraestrutura, a 17ª edição do Lide Talks, promovido pelo Lide RS, recebeu o sócio da GO Associados e professor da FGV, Gesner Oliveira, o superintendente da Área de Governo e Relacionamento Institucional do BNDES, Pedro Bruno, e o secretário Extraordinário de Parcerias do Estado, Bruno Vanuzzi.

Gesner Oliveira chama a prática de “verdadeira revolução silenciosa no país, um dos ingredientes fundamentais para retomada do crescimento do país”. Com a projeção da maior recessão anual brasileira da história, o professor destaca que os números não foram maiores porque os “pacotes antipandemia deram resultado no Brasil e no mundo”. Neste sentido, Oliveira enfatizou a importância das parcerias e concessões. “O aumento de investimento deverá ocorrer via setor privado, tanto na esfera federal, quanto estadual e municipal”, contextualizou Oliveira, defendendo o aprimoramento deste instrumento.

Vanuzzi lembrou a publicação do edital de concessão da RSC 287, que prevê a duplicação do trecho Tabaí-Santa Maria, de 204 quilômetros. “Temos um leilão marcado para 18 de dezembro na Bolsa de Valores de São Paulo na expectativa de capturar essa abundância de liquidez do mercado, tamanho interesse dos investidores”.

O secretário explicou o conceito das PPPs e deu exemplos. “São recursos que podem se transformar em uma ponte ou hospitais, como aconteceu em São Paulo e Bahia, ou creches, conforme projeto que ocorreu em Minas Gerais e uma rodovia duplicada no RS”, explanou.

O superintendente do BNDES, Pedro Bruno, faz uma analogia ao trabalho desenvolvido em uma PPP. “Fala-se que o leilão é a linha de chegada, mas, na verdade, é o ponto de partida, onde começamos a ver para onde vão as melhorias à sociedade”, disse. Ele revelou que o RS é “um cliente muito especial da carteira de projetos” do banco e destaca que o monitoramento dos prazos é fundamental para o sucesso de uma concessão. “Precisa haver engajamento do cliente”, reitera.

Para o presidente do Lide RS, Eduardo Fernandez, as parcerias público-privadas são muito bem-vindas diante da quase que permanente falta de recursos para investimento no setor público. “A experiência nos mostra que a iniciativa privada consegue imprimir mais eficiência e menor custo na condução dos projetos, o que já credencia e qualifica estes contratos como importantes instrumentos para fomentar o desenvolvimento da infraestrutura no Estado”, concluiu.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895