Manifestantes fazem protesto contra Bolsonaro no centro de Porto Alegre

Manifestantes fazem protesto contra Bolsonaro no centro de Porto Alegre

Atos, que também ocorrem e outras cidades e capitais do país, buscam ainda por mais agilidade na vacinação contra a Covid-19 e a manutenção de auxílio emergencial

Camila Diesel / Rádio Guaíba

Protesto contra Bolsonaro ocorre no centro de Porto Alegre

publicidade

Um protesto contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ocorre, na tarde deste sábado, em Porto Alegre. Manifestações semelhantes acontecem em outras cidades e capitais do país, como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Belém do Pará.

No centro de Porto Alegre, manifestantes lotam o Largo Glênio Peres e ocupam também parte da Avenida Borges de Medeiros e da Praça Montevideo. Com faixas e cartazes, os presentes pedem “fora Bolsonaro, vacina no braço e comida no prato”. Os atos, convocados por movimentos sociais e centrais sindicais, também buscam por mais agilidade na vacinação contra o coronavírus, a manutenção de auxílio emergencial e valorização do Sistema Único de Saúde (SUS).

Veja Também

Um caminhão com lideranças sindicais, representantes de grupos sociais e políticos foi estacionado em frente à prefeitura. Os manifestantes realizarão caminhada pela região central da cidade e a dispersão está prevista para ocorrer no Largo Zumbi dos Palmares, na Cidade Baixa. Os presentes utilizam máscaras, mas não conseguem evitar a aglomeração.

Os protestos, chamados de “#3JForaBolsonaro”, começaram pela manhã em algumas regiões e seguirão até o final da tarde, como é o caso da Capital dos gaúchos. A previsão era de realizar o ato no dia 24, mas as denúncias de corrupção no contrato da vacina Covaxin e o recente pedido de impeachment contra o presidente, protocolado por inúmeras frentes políticas, fizeram com que fosse antecipado para este sábado.

Os protestos ocorreram também em cidades do interior do Rio Grande do Sul. 

Protesto em Canela        Foto: Ricardo Giusti


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895